Siga-nos!

Israel

“Moedas do Templo” com rosto de Trump já estão disponíveis

Foram confeccionadas moedas de “meio shekel de prata”, seguindo tradição bíblica

Publicado

em

TrumpCoin
Publicidade

Uma organização israelense que pretende construir o Terceiro Templo em Jerusalém anunciou esta semana que já estão disponíveis as primeiras mil moedas comemorativas, que trazem a imagem de Donald Trump sobreposta a do rei Ciro. O monarca persa há 2.500 anos permitiu que os judeus retornassem a Jerusalém de seu exílio na Babilônia.

A edição limitada dessas moedas visa homenagear a decisão do presidente dos EUA em reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

O Centro Educacional Mikdash [Templo] explica que cada “Moeda do Templo”, como é chamada, custa US $ 50 [cerca de R$150] e pode ser encomendada pelo seu site.

Atendendo a encomendas, elas estão sendo despachadas para diferentes lugares do mundo. Todo o lucro obtido será usado pelo Centro Educacional Mikdash para “ajudar a conscientizar” as pessoas sobre a necessidade de reconstrução do Templo.

A escolha pelo meio shekel de prata é por causa do mandamento bíblico de que, a cada ano essa era a quantia que cada homem de Israel, independentemente de sua condição social, precisava ofertar “como propiciação por sua vida” (Êxodo 30:11-16). Nas traduções em português, o termo shekel é comumente traduzido por “ciclo”.

Moeda do Templo

Moeda do Templo

Doada primeiramente para o tabernáculo, continuou sendo usada quando os templos estavam em pé, como uma forma de suprir as necessidades do local. Nos tempos de Jesus, a moeda era o equivalente a duas dracmas e era usada também com o propósito de pagar pelos sacrifícios públicos.

Publicidade

Rabinos explicam escolha por Trump

O rabino Mordechai Persoff explicou que Trump, como Ciro, deu uma “grande declaração, de que Jerusalém é a capital do povo santo”. Ele acredita que as moedas “ajudarão a espalhar a luz de Jerusalém e o espírito do Templo Sagrado em todo o mundo”.

Na frente da moeda há uma inscrição que menciona o Lord Arthur Balfour, Ministro das Relações Exteriores britânico que assinou a “Declaração de Balfour”, pedindo o estabelecimento de uma pátria judaica no que era o mandato britânico da Palestina. No lado oposto da moeda há uma imagem do Templo.

O rabino Hillel Weiss, presidente da Associação Mikdash & Tsion, que representa todos os movimentos em prol do Terceiro Templo, enfatizou que Ciro e Balfour não eram judeus, mas desempenharam um papel extremamente importante na história de Israel. O mesmo está ocorrendo com o presidente dos EUA. “A agenda política de Trump só pode ser bem-sucedida se estiver focada na construção do Terceiro Templo, no lugar que Deus escolheu: o Monte do Templo. Ele não deve apoiar a solução de dois Estados, ou isso levará à sua queda”, afirmou.  Com informações NewsWeek

Publicidade