Siga-nos!

Política

Ministro da Saúde diz comunidades terapêuticas cumprem o papel do Estado

41% das instituições que oferecem tratamento para dependentes químicos são entidades mantidas por igrejas evangélicas

Avatar

em

Luiz Henrique Mandetta. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Publicidade

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacou a importância das comunidades terapêuticas que são as principais responsáveis pela ressocialização de dependentes químicos no Brasil.

Na visão do ministro, essas comunidades “acabam fazendo o papel do Estado” que seria tratar os usuários de drogas. No Brasil, 41% das instituições que oferecem tratamento para dependentes químicos são entidades mantidas por igrejas evangélicas, 26% por comunidades católicas e 19% por instituição sem orientação religiosa específica, segundo dados da Agência Brasil. Não há informações sobre os 14% restantes, de acordo com a Agência Brasil.

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Mandetta também destacou a forma eficaz com que essas instituições trabalham.

“A medicina não tem uma solução fácil para a questão das drogas. As drogas acabam sendo uma questão de troca, de conversão. A pessoa vai ter um filho. Em nome desse filho, ela larga o vício das drogas. Em nome da mãe, em nome do pai, de um novo amor, um uma estrutura familiar, ela larga”, declarou.

A fala do ministro é importante, pois recentemente especialistas de saúde menta criticaram as comunidades terapêuticas, dizendo que esses espaços reproduzem a lógica do funcionamento de manicômios. Esses especialistas defendem que os dependentes químicos sejam atendimentos nas unidades do Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

Publicidade