Siga-nos!

Sociedade

Ministério da Justiça afirma que jihadistas “trarão progresso ao país”

Comentário no Facebook gera reação imediata de conservadores e é apagado horas depois.

em

Em tempos de “guerra virtual” no Facebook, qualquer imagem, vídeo ou comentário feito na rede pode se iniciar uma reação em poucos minutos.

Nesta quinta (05), a página oficial do Ministério da Justiça no Face defendeu a vinda de jihadistas ao Brasil “para trazer mais progresso ao nosso país”. Segundo a postagem, eles, “assim como qualquer outro povo de qualquer outra origem”, “merecem respeito” afinal “temos que desconstruir alguns conceitos”.

A campanha do Ministério nas redes com o slogan #EuTambémSouImigrante estimula pessoas a compartilharem suas origens, como foi a vinda de seus antepassados para o Brasil.

Entre os mais de 10 mil comentários, o internauta Heder Duarte fez um alerta: “Imigrantes pacíficos são bem-vindos, já os jihadistas devem ser bloqueados de entrar no Brasil”.

Alguém da equipe do ministro José Eduardo Cardozo responde em nome do Ministério da Justiça, mostrando que ou o PT ignora o que seja jihadismo ou que o discurso de Dilma na ONU ano passado defendendo os terroristas é que estabeleceu essa diretriz.

Ministério da Justiça e os jihadistas

Ao defender os adeptos da jihad, a “guerra santa” que os muçulmanos usam como justificativa para atos de terrorismo e assassinato de judeus e cristãos, o governo petista mostra que não os vê como um perigo. Acostumados a apoiar movimentos de terrorismo nacional, como MST, o MTST, a CUT e a UJS, talvez acreditem que ainda resta algo a ser aprendido.

Postagem Completa

Campanha do Ministério da Justiça.

Depois das primeiras reações na internet, com o print da tela virando um meme entre movimentos conservadores, o Ministério da Justiça apagou o comentário. A imensa maioria dos comentários sobre o assunto mostram que existe uma indignação com a irresponsabilidade do governo federal.

Ouvido pelo portal Gospel Prime, Heder Duarte, autor dos comentários, declarou: “Fiquei indignado com esse apoio ao terrorismo, isso compromete a segurança nacional e soberania nacional contra ameaças globais. A legítima defesa deve ser garantida por lei”.

Afinal, durante o governo Lula, o Brasil doou 25 milhões de reais para o grupo terrorista Hamas, que controla o território palestino.

A ideia de barrar imigrantes que sejam muçulmanos é corrente em alguns países europeus que estão recebendo milhares de refugiados. Todos que se levantam contra a aceitação indiscriminada são rotulados de “xenófobos” e alguns já foram, inclusive, ameaçados pelos seus governos.

Ao menos 7.000 homens que foram recebidos em abrigos da Alemanha, principal destino dos refugiados, “desapareceram misteriosamente”. Acredita-se que eram jihadistas e que agora andam livremente pelo país.

Recentemente, o Estado Islâmico admitiu que está infiltrando soldados na Europa, aproveitando a falta de controle nas fronteiras. “É nosso sonho que haja um califado não só na Síria, mas no mundo inteiro”, disse um deles a um repórter americano. “E vai ocorrer em breve”.

Publicidade