Siga-nos!

Opinião

Meu novo reality show favorito

Ainda existem pessoas que dão cabo de seus desejos vis por uma justiça injusta

Avatar

em

Em João, capítulo 8, vemos o relato de um episódio emblemático em nossa História: Jesus impede o apedrejamento de uma mulher adúltera, com um crucial desafio (“Quem não tiver pecados, que atire a primeira pedra”), sem deixar de reprimi-la por seu ato, é bom que se diga.

Com este exemplo, não é exagero afirmar, Jesus Cristo de Nazaré, aquele que era a Palavra encarnada, o próprio Deus revelado ao Homem, golpeou severamente a barbárie, tão natural no mundo que não o conhecia, e abriu caminho à civilização.

As civilizações que existiram antes de Cristo não eram civilizadas. Nem os Gregos, sábios gregos, fornecedores de importantíssimos conceitos, hábitos – intelectuais – e ideias ao Mundo, eram assim tão civilizados. Não sem Cristo.

Pudera, ali estava o próprio Criador, a apresentar uma nova maneira de viver às suas criaturas mais belas. Infelizmente, como já sabia o próprio Pai, nem todos os filhos aprenderiam. Nem todos perceberam o quão importante foi aquele exemplo.

Herdamos, depois de Cristo, não só um calendário dividido por Ele (para quem reside da Europa para cá), mas também um mundo bipartido: cristão e não-cristão. Divisão esta caracterizada mais precisamente pelos termos “ocidental” e “não-ocidental”, que não valem mais geograficamente, como no início da Era D.C., apenas culturalmente (Austrália não fica no Ocidente e é um país que, graças a colonização britânica, adotou a cultura ocidental).

Mas mesmo no Ocidente cristão, tantos anos depois, ainda existem pessoas que dão cabo de seus desejos vis por uma justiça injusta, incivilizada e sanguinolenta. Contrariando o próprio Cristo. Os fatos cada vez mais alardeados pela Imprensa, de maneira nada digna, friso, alertam até os desavisados para o caminho bárbaro que seguimos: a notícia da semana conta que um jovem suspeito de um assalto no Maranhão foi acorrentado a um poste e linchado até a morte.

E mais alarmante que a notícia em si, é o fato de existirem pessoas que, publicamente, sem nenhuma vergonha, afirmam ter se cumprido o melhor dos desígnios neste caso.

Isto não acontece no Brasil, que está inserido na categoria “ocidental”, por acaso. É o resultado do combate incessante que progressistas de diversas correntes travam com o Cristianismo, em suas “terras”, há dois séculos. Conscientemente ou não, socialistas, comunistas, humanistas, anarquistas e outras sortes de dogmáticos laicos tentam, de qualquer jeito, nublar o exemplo de Cristo e deixar o Homem novamente sem referência.

Espantoso é, porém, notar que os mesmos progressistas que arrebentam com os valores da civilização ocidental, incontornavelmente judaico-cristã, diariamente, desde o rebaixamento da mística a mera fantasia, até o conceito de família, hoje esvaziado, reclamam quando veem esta sociedade desabar.

Ora, é o que acontece quando se derruba os pilares de um castelo. Foi o que aconteceu quando Sansão derrubou as colunas do Templo de Dagom.

A histeria deles é generalizada, quando as pessoas desta “nova” sociedade laica começam a linchar umas as outras. Em plena luz do dia, a céu aberto. O que aconteceu com o mantra do Homem que era bom por natureza? Aliás, cadê este Homem? Não deve ser Sapiens, pois nunca o vi.

Só para lembrar: No Oriente Médio não-cristão, tais práticas nunca cessaram. Ainda se corta mão de quem rouba e se apedreja mulher que adultera. Enforcam gays… Pior, com o advento do Cristianismo, a barbárie naquelas bandas ganhou novo foco: Mata-se por indiferença religiosa como nunca, inibe-se o direito de culto ao Cristo redivivo e perseguem-se cristãos como se fossem troféus.

Há dois mil anos Cristo rompeu com essa tradição e fundou um novo e altíssimo padrão ético, que o Ocidente cristianizado seguia até outro dia — 100, 200 anos atrás –, quando alguns “iluminados” resolveram que ele não prestava mais. Agora, não há milagre que nos isente, teremos que aguentar!

P.S.: “Como o Humanismo dará um jeito nisso sem recorrer ao Absoluto” é o meu novo reality show favorito. Estou só observando.

Publicidade