Siga-nos!

Sociedade

Malafaia volta a atacar Eduardo Bolsonaro: “ajudaria muito mais parando de falar asneira”

Filho do presidente causou polêmica ao falar sobre brasileiros que imigraram ilegalmente

Avatar

em

Silas Malafaia
Silas Malafaia. (Foto: Reprodução / Youtube)

O pastor Silas Malafaia voltou a mostrar sua insatisfação com as falas do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), dessa vez pela declaração polêmica a respeito dos brasileiros que estão ilegais nos Estados Unidos.

Segundo informações da imprensa, Eduardo declarou que os imigrantes ilegais “são uma vergonha para o país”, mas o pastor discorda.

Leia mais...

“Eu sou exatamente ao contrário do que pensa Eduardo Bolsonaro. Não tenho vergonha dos brasileiros ilegais que estão em diversas nações poderosas. Não são vagabundos nem pilantras, pelo contrário, trabalhadores que foram tentar a vida fugindo do desemprego. Isso é a maioria deles!”.

Malafaia então critica a postura do filho do presidente Jair Bolsonaro: “O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, ajudaria muito mais ao governo do seu pai, parando de falar asneira. Poderia ter ficado de boca fechada na questão dos imigrantes ilegais brasileiros. Não conhece a realidade da questão. A maioria, quase que absoluta, vai para trabalhar”.

A fala do pastor evangélico teve apoio de integrantes da esquerda política, pessoas que sempre criticam Malafaia concordaram com o que ele disse sobre os imigrantes brasileiros e, principalmente, sobre o filho do presidente.

Eduardo diz que foi mal interpretado

Eduardo Bolsonaro, porém, comentou neste domingo durante uma reportagem para a Record TV que sua fala foi distorcida pela imprensa brasileira e que ele não disse que os brasileiros ilegais são uma vergonha para o país.

“A jornalista me perguntou porque a gente ficava preocupado com os brasileiros que iam para o exterior e eu citei o caso do Marcos Arsher quando ele cometeu o crime de tráfico internacional de drogas ao tentar entrar na Indonésia com cocaína e eu falei que isso era uma vergonha para todos nós brasileiros. Então, certamente um país sério se comporta de forma séria com os seus nacionais”, se explicou.

Continue lendo