Siga-nos!

Sociedade

Mais de 50% dos adolescentes trans tentam o suicídio, indica estudo

Levantamento estudou relatos de mais de 120 mil de adolescentes americanos

em

Adolescentes.

De acordo com uma análise de dados feita ao longo de três anos pelo professor Russell B. Toomey, da Universidade do Arizona-Tucson (EUA), 51% das adolescentes que passaram a se identificar como homem relatam pelo menos uma tentativa de suicídio.

O estudo Profiles of Student Life: Attitudes and Behaviors foi produzido pelo Search Institute – organização sem fins lucrativos focada em questões da juventude – e publicado na revista científica Pediatric News.

Realizada entre junho de 2012 e maio de 2015, a coleta de dados investigou 120.617 adolescentes, com idade variando de 11 a 19 anos. As perguntas da pesquisa incluíram: “Você já tentou se matar?”. Quatorze por cento de todos os entrevistados disseram que sim. Os participantes tinham 15 anos, em média.

O estudo também descobriu que os níveis de educação dos pais e o status socioeconômico da família não parecem influenciar diretamente os adolescentes que tentam o suicídio. Contudo,  os números eram muito mais altos para aqueles que se identificaram como alguém diferente de seu sexo biológico.

Na pesquisa, 60.973 dos adolescentes eram do sexo feminino e 57.871 eram do sexo masculino. O restante se identificou como “outro”. Entre eles, 202 identificaram como transexual (homem para mulher) e outros 175 de mulher para homem. Além disso, 344 identificaram como “transexual não-binário”.

Outros 1.052 afirmam estar “questionando” seu gênero. Dentre estes, 28% relataram tentativas de suicídio. Já entre os trans de homem para mulher o número era 30% e para os “não binário” chegaram a 42%. Esses números são consideravelmente maiores do que os adolescentes e adolescentes que se identificaram com seu sexo biológico. Apenas 10% desses homens e 18% das mulheres relataram tentativas de suicídio.

Embora ninguém possa comprovar exatamente o que é identidade de gênero no físico, já que é um conceito teórico, Toomey afirma que é “a autocompreensão de alguém ser homem, mulher, nenhum ou ambos”.

Drogas, depressão e morte

Em uma entrevista à CNN, Heather Hutzi, psicóloga-chefe do Hospital Infantil de Orange County, Califórnia, disse que as taxas de suicídio ente os transgêneros “aumentam o estigma sobre eles ou a falta de compreensão”.

Embora ela não tenha sido parte ativa da pesquisa, a especialista explica que sentir-se “marginalizado, estigmatizado e isolado” leva muitos jovens a se sentirem tão sem esperança que começam a usar drogas. Isso, associado à depressão, aumenta o risco de suicídio.

Hutzi lembra que o suicídio é “a segunda principal causa de morte” entre os adolescentes e que as taxas estão subindo. “Para os adolescentes, em particular, uma grande porcentagem – por volta de 50% – a tentativa ocorre 30 minutos depois de ele/ela ter a ideia. O cérebro deles não está suficientemente desenvolvido.”

John Ayers, pesquisador da Universidade da Califórnia em San Diego, diz não que não se sabe por que adolescentes trans cometem suicídio a taxas tão altas. “É extremamente importante começarmos a investir e a perguntar por que, em vez de simplesmente contar quantos morreram”, disse ele. Com informações de CNN e Christian Post