Siga-nos!

Mundo Cristão

Mãe de pastor preso vive em igreja que pode ser demolida

Ela se nega a deixar o espaço na esperança de encontrar seu filho que foi preso em fevereiro deste ano

em

Templo demolido na China. (Foto: China AID)

A mãe idosa de um pastor chinês Li Juncai, preso em fevereiro “obstruir a aplicação da lei”, continua vivendo no prédio da igreja que o governo ameaça demolir, aguardando o retorno do filho.

Segundo a International Christian Concern, entidade que defende cristãos perseguidos, o pastor ministrava um funeral na vila Wangxingnan quando funcionários do governo chegaram para exibir a instalação de uma plataforma para exibir a bandeira nacional.

“Ele imediatamente correu para a vila e exigiu que esses trabalhadores cumprissem a lei e mostrassem documentos relevantes. A equipe disse que não tinha esses documentos, mas que a bandeira nacional deve ser levantada”, revela a ICC.

Os oficiais agrediram os cristãos e, diante do que aconteceu, o pastor achou melhor que as pessoas da vila cedessem e deixassem acontecer a instalação forçada. “Essa decisão permitiu que os oficiais derrubassem o muro, entrassem no pátio e montassem a base da bandeira em nome da implementação da educação patriótica”.

Segundo o site Faithwire, alguns dias depois, o pastor Juncai foi preso depois de recusar mais demandas feitas pelas autoridades do governo que procuravam alinhar sua igreja com os ideais do regime comunista.

Imediatamente após a prisão de Juncai, as autoridades lançaram uma campanha contra a Zhongxin Church, uma igreja doméstica em Yuanyang, cortando o fornecimento de água e eletricidade e saqueando o santuário de símbolos religiosos. Entre os itens confiscados, há uma cruz e uma faixa que diz “Ame a Deus e ao povo”, que as autoridades ordenaram que sejam trocadas por uma que leia “Ame o país, ame a igreja”.

Agora as autoridades planejam demolir a igreja. “O portão da igreja foi selado desde que meu pai foi levado em fevereiro”, disse o filho do pastor Li, Li Chao, à China Aid. “As autoridades nos pediram para aguardar a atualização, dizendo que eles retificariam a igreja. Já faz mais de 9 meses. Alguns dias atrás, fomos informados de que [os funcionários do governo] demoliriam a igreja à força”.

Apesar do imediatismo da ameaça, a mãe do pastor Li continua morando em uma pequena sala dentro do prédio da igreja, determinando que, um dia, seu filho retornará. Li Chao disse à China Aid que está preocupado que sua avó sofra ferimentos ou que ela seja arrastada para fora da igreja e presa quando as autoridades vierem para destruí-la.