Siga-nos!

Internacional

Maduro diz que Brasil está envolvido em “plano americano” para derrubá-lo

Presidente venezuelano reclama de encontro de Bolton com Bolsonaro

Publicado

em

Nicolás Maduro
Publicidade

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, veio a público nesta quarta-feira denunciar um suposto plano dos Estados Unidos para derrubá-lo e até assassiná-lo. Ele acredita que isso envolveria os governos dos vizinhos Brasil e Colômbia.

“Chegou até nós boa informação que John Bolton [conselheiro de Segurança dos EUA], desesperado, ordenou missões de provocações militares na fronteira”, alegou ele em discurso, mas sem apresentar provas.

Ainda segundo ele, Bolton teria tratado do assunto com o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro. No último domingo, Maduro havia dito que Washington tinha um plano para lhe dar um “golpe” com o apoio da Colômbia.

“Ninguém no Brasil quer que o novo governo de Jair Bolsonaro se envolva em uma aventura militar contra o povo da Venezuela”, garantiu Maduro.

Bolton e Bolsonaro tiveram um encontro em 29 de novembro, no Rio de Janeiro. Para Maduro, existe uma conspiração comandada por Washington.

Publicidade

“Venho denunciar a conspiração que a Casa Branca prepara para violar a democracia venezuelana, para me assassinar e para impor um governo ditatorial na Venezuela”, disparou.

Não é a primeira vez que o presidente venezuelano, que deve iniciar um novo mandato de seis anos em janeiro, denuncia conspirações contra seu governo, sem mostrar qualquer comprovação.

Trending