Siga-nos!

Mundo Cristão

Líderes cristãos se reúnem com Trump e oram pelo presidente

Grupo ouviu as diversas realizações do governo

em

Líderes evangélicos oram por Donald Trump. (Foto: CBN News)

Na última semana o presidente dos EUA, Donald Trump, recebeu vários líderes religiosos na Casa Branca, eles fizeram uma oração pelo político, que enfrenta um processo de impeachment e também pela nação.

“Os líderes discutiram as muitas realizações da administração para o povo americano e como as comunidades que eles representam de todo o país estão se beneficiando dessas importantes políticas”, revelou o secretário de imprensa adjunto da Casa Branca, Judd Deere, em comunicado.

Os participantes da reunião incluíram: Paula White Cain; ex-congressista republicana, Michelle Bachmann; Presidente da American Values, Gary Bauer; Dr. James Dobson; pastor sênior da Capela Livre Jentezen Franklin; pastor sênior da Igreja Batista de Prestonwood, Jack Graham; primeiro pastor batista do Dallas, Robert Jeffress; pastor sênior da Irmandade Cristã da Colheita, Greg Laurie; Presidente da Conferência Nacional de Liderança Cristã Hispânica, Rev. Samuel Rodriguez; e Presidente do Conselho de Pesquisa da Família Tony Perkins, entre outros.

Enquanto a reunião informal foi fechada à mídia, alguns dos participantes falaram publicamente sobre suas experiências nas redes sociais.

Johnnie Moore, ativista de direitos humanos que atua como consultor no governo Trump, disse que teve uma “ótima manhã” com um presidente “confiante e animado”.

“Grande discussão e celebração de muitas realizações, como: reforma da justiça criminal, defesa da liberdade religiosa, redução do aborto, combate à crise e tráfico de opiáceos, o fim do ISIS e Baghdadi”, tuitou Moore na quarta-feira .

Jeffress disse à CBN News que o principal objetivo da reunião na Sala Roosevelt era Trump informar os líderes religiosos das “realizações contínuas e notáveis ​​deste governo – especialmente em áreas importantes para os evangélicos”.

“Nunca vi o presidente Trump mais otimista, positivo e concentrado do que na reunião de terça-feira”, disse.

“No final da reunião, vários perguntaram se podiam orar pelo presidente e ele gentilmente acolheu a oferta – como sempre faz.”

Publicidade