Siga-nos!

Sociedade

Lei propõe disponibilidade de Bíblia em bibliotecas de Juiz de Fora

Vereador argumenta que projeto não fere a laicidade do Estado.

em

Biblioteca em Juiz de Fora. (Foto: Reprodução / TV TEM)

Após ser aprovada na Câmara dos Vereadores de Juiz de Fora, a lei que dispõe sobre a manutenção de pelo menos um exemplar da Bíblia nas bibliotecas de escolas municipais e particulares foi sancionada pelo prefeito Antônio Almas (PSDB).

De autoria do vereador Júlio Obama Junior (PHS), o texto se justifica dizendo que não fere a laicidade do Estado e nem fere a liberdade religiosa, pois tem como objetivo oferecer aos estudantes uma fonte de pesquisa.

“A intenção do Projeto de lei não é privilegiar uma única confissão religiosa, mas sim, oportunizar ao estudante mais uma fonte de estudo que às vezes não é oferecido ou disponibilizado em casa”.

O vereador sustenta seu projeto citando a Bíblia como uma preciosa fonte de pesquisa para acadêmicos de Faculdades de Filosofia, História e Sociologia.

“É uma leitura universal, sendo apontado como o livro mais lido do mundo. Entendo como de grande importância que as nossas bibliotecas possuam livros desse quilate, inclusive publicações que abordem assuntos de outras religiões”, disse ele à TV Integração.

O projeto foi aprovado em três turnos legislativos e sancionado pelo prefeito sem vetos sob a inscrição de Lei Municipal n° 13.956.

Publicidade