Siga-nos!

Política

Lei propõe acordo de irmandade entre Salvador e Jerusalém

“Ter Jerusalém como uma cidade irmã é algo profético”, acredita vereadora que propôs o projeto.

em

Lorena Brandão e Moshe Leon. (Foto: Reprodução / Instagram)

Foi sancionada em Salvador a Lei 202/2019 que firma o acordo de irmandade entre a capital baiana e Jerusalém.

O prefeito ACM Neto (DEM), sancionou o projeto de lei aprovado na Câmara que é de autoria da vereadora evangélica Lorena Brandão.

Com esta lei em vigor, as duas cidades poderão firmar acordos, convênios e programas de cooperação técnica, científica, artística, cultural, social e turística.

Quando a lei foi aprovada na Câmara Municipal, Lorena, que é bispa do Ministério Batista Internacional Caminho das Árvores, comemorou e falou sobre suas expectativas para esse acordo.

“É um marco histórico para nossa cidade. Ter Jerusalém como uma cidade irmã é algo profético, que irá atrelar ainda mais os laços entre o Brasil e a Terra Santa”.

A vereadora está em Israel para que a cidade de Jerusalém também reconheça Salvador como cidade-irmã.

Nesta quarta-feira (6), ele esteve com o prefeito de Jerusalém, Moshe Leon, entregando as documentações para este acordo.

“Mais um passo dado para que Jerusalém também reconheça Salvador como cidade-irmã. Após algumas tentativas, entregamos hoje ao prefeito de Jerusalém Moshe Leon toda a documentação para este acordo. Peço a sua intercessão, pois vem sendo difícil, mas estamos vencendo grandes barreiras para que consigamos esta conquista para a nossa cidade”, escreveu ela no Instagram.

Publicidade