Siga-nos!

Sociedade

Justiça mantém denúncia contra membros da Igreja Maranata

Vinte pessoas ligadas à cúpula da denominação são acusadas de desviar mais de 20 milhões dos dízimos recebidos

em

Na última quarta-feira (16) o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES) decidiu, por unanimidade, manter a denúncia contra mais de 20 pessoas ligadas à cúpula da Igreja Cristã Maranata.

A denúncia foi feita pelo Ministério Público Federal (MP-ES) que identificou o desviou de mais de R$ 20 milhões dos cofres da igreja.

A sessão ordinária analisou os documentos do MP-ES que identificou um esquema onde os valores das contribuições dos fiéis eram utilizados para beneficiar a cúpula e terceiros, tanto como pessoa física, como as empresas que eram vinculadas à eles.

O montante desviado é de R$ 24.823.688,19, valor este investido em bens e vantagens particulares, como ficou identificado pela investigação que chegou a levar alguns dos acusados para a cadeia em 2013.

Ainda segundo a denúncia, os acusados se aproveitavam da imunidade tributária da igreja para “ludibriarem fiéis e devotos mediante variadas fraudes visando desviar numerários oferecidos para finalidades ligadas à Igreja em proveito próprio e de terceiros, pessoas físicas e jurídicas vinculadas à quadrilha”.

A decisão julgava um pedido de Habeas Corpus que teve como relator o desembargador substituto Fernando Estevam Bravin Ruy. Em seu entendimento, a “denúncia encontra-se devidamente fundamentada, com alusão concreta aos fatos narrados na denúncia”. Com informações G1.

Publicidade