Siga-nos!

igreja perseguida

Justiça anula casamento de menina cristã sequestrada por muçulmano

Arzoo Raja foi sequestrada pelo vizinho e forçada a se casar.

Michael Caceres

em

Arzoo Raja
Família de Arzoo Raja (Foto: Reprodução/Morning Star News)

A menina cristã de 13 anos, Arzoo Raja, que foi sequestrada e obrigada a casar com um mulçumano, teve seu casamento anulado nesta segunda-feira (9) por um tribunal superior na província de Sindh, no Paquistão.

Os juízes decidiram que a menor de idade não poderia se casar legalmente com Ali Azhar, de 44 anos, nem voltar com ele. A justiça perguntou para onde ela queria ir, com seus pais ou voltar para o abrigo onde ficou enquanto o caso estava sendo resolvido, ela respondeu que “nenhum dos dois”.

O tribunal não teve outra opção a não ser, manda-la de volta para o abrigo, pois ela teria mais opção de segurança e ensino. Eles ordenaram que somente quem ela desejasse poderia visita-la com exceção de Azhar.

A polícia foi ordenada a abrir um processo contra Azhar contra as leis provinciais do casamento infantil. Os juízes KK Agha e Amjad Ali Sahito, que formam a banca do Tribunal Superior de Sindh, que determinaram aos policiais, devido à idade da garota.

Islã e o casamento

O tribunal ainda não decidiu sobre a conversão da menina ao islã, por isso os defensores dos direitos religiosos estão na esperança de que em duas semanas o tribunal resolva o fato, e mude a sentença final sobre o casamento.

O advogado de Azhar, Ramzan Tabassum, alegou que a menina tinha 18 anos, e mesmo que ela tivesse menos, o casamento seria legítimo de acordo com as leis islâmicas. E acrescentou que a menina era física e mentalmente madura e que o islã, permite que as mulheres se casem na adolescência.

De acordo com o Morning Star News, conselho médico que o tribunal constituiu conjecturou que Arzoo tinha entre 14 e 15 anos. Seus registros no National Database and Registrtion Authority (NADRA) aparecem sua data de nascimento como 31 de julho de 2007, o que faz com que sua idade seja 13 anos.

O pai de Arzoo, Raja Masih havia reportado o desaparecimento da menina em 13 de outubro, porém Azhar havia mostrado para eles uma certidão de casamento islâmica, um certificado de conversão da menina e uma declaração escrita do consentimento dos pais ao casamento.

O caso gerou vários protestos por parte dos cristãos e de grupos de direitos humanos.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending