Siga-nos!

Internacional

Igreja Metodista julgará pastor que casou filho gay

A união foi celebrada em 2007 e neste ano um paroquiano resolveu denunciá-lo por quebrar as regras da denominação

em

Na próxima semana a Igreja Metodista Unida (IMU) fará uma reunião para decidir o futuro do pastor Frank Schaefer que em 2007 realizou o casamento de seu filho, Tim Schaefer, com outro nome.

A igreja rejeita a união entre pessoas do mesmo sexo e afirma que tal prática é “incompatível com a doutrina cristã”. Há mais de 40 anos o tema gera debate na denominação que nunca cedeu mudar suas doutrinas para aceitar a união gay.

Tim afirma que a igreja precisa rever suas políticas, pois elas são “discriminatórias”. Além de Tim, o pastor tem outros três filhos e dois deles também são gays.

Em sua defesa o pastor afirma que em 2007 participou de uma Conferência da IMU e comunicou a todos que estaria realizando o casamento de seu filho, sem receber repreensão de seus superiores.

Mas em abril deste ano, um paroquiano resolveu denunciar e abrir uma queixa contra o pastor dizendo que a atitude dele violou a doutrina da denominação.

“Qual foi meu crime? Abençoei duas pessoas que amavam”, disse ele para a ABC News. “Jesus, nosso Senhor e Salvador nunca mencionou o homossexualismo e, em meu ponto de vista, se isso é um problema tão importante por que ele não o mencionou?”.

Em outubro do ano passado outro pastor da IMU resolveu ferir as regras da igreja e casar seu filho gay. Thomas W. Ogletree de Connecticut também sofreria um processo eclesiástico por ter realizado a união de pessoas do mesmo sexo.

Ogletree foi denunciado pelo pastor  Randall C. Paige que não concorda com o casamento gay. A IMU tem mais de 45 mil pastores e apenas 1,1 mil deles são a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Publicidade