Siga-nos!

Jovem é torturado e ameaçado, mas não abre mão da fé

“Eu não temo a morte, não vou parar de pregar a Cristo”, afirma.

Avatar

em

Shikhar

Num país de tradições hindu, se converter ao cristianismo é ter a consciência de que a perseguição fará parte do seu dia-a-dia. Na Índia, a intolerância religiosa é muito opressora e nem mesmo dentro da própria família o cristão convertido está livre de ataques. É o que vem acontecendo com o jovem Shikhar desde que se entregou a fé cristã.

O jovem se converteu no ano de 2012 e desde então enfrenta grandes dificuldades. Nem mesmo a condição física de Shikhar, que é portador de necessidades especiais, comoveu sua família. Após se decidir por Cristo, o jovem foi torturado e expulso de casa, mas apesar dos insultos e agressões, preferiu retornar, pois entendia que precisava falar de Deus para seus pais e irmãos.

“Quando cheguei a Cristo, eu era o único cristão em minha família. Minha família ficou chocada e disse que tinham feito uma lavagem cerebral em mim. Sofri ameaças e agressões”, conta. “Meu irmão me procurava na igreja ou onde eu estivesse para me bater e me intimidar. Às vezes ele só me chutava sem qualquer motivo e depois ia embora”, relatou com tristeza.

Além de todas as lutas, Shikhar ainda sofreu um sério acidente de ônibus, e teve que ficar internado por mais de 20 dias. Ele teve ferimentos nas costas e no pescoço. Nenhum de seus parentes o visitou. Nem mesmo no hospital ele recebeu o tratamento adequado, nem comida recebia.

“Minha família estava contra mim. Eles foram ao hospital e instruíram o pessoal da cozinha para não me darem comida, porque eu havia traído minha fé hindu. Eles disseram que isso me ensinaria uma grande lição. Durante as refeições, a equipe da cozinha me ignorava e dava comida para todos, menos para mim. Reclamei com as enfermeiras e os médicos, mas nos hospitais do governo indiano, as instalações são escassas e os médicos e a equipe são descuidados. Se você tem alguma divergência com a equipe da cozinha, isso é problema seu”, lembrou.

O jovem conta que chorava muito durante esse período e que o único que levava comida para ele era seu pastor, que também era muito pobre. O quadro mudou quando uma equipe da Missão Portas Abertas o localizou e ofereceu ajuda. Depois disso o jovem se recuperou e recebeu alta.

Direitos negados

Mas a vida continuou difícil. Shikhar vive com menos de 1.600 rúpias por mês, o equivalente a R$88 reais mensais. Pela lei Indiana ele teria direito a receber terras e uma casa do governo, por causa de sua condição física e financeira, mas nem isso é respeitado nos pais. O jovem foi informado que só receberia seu direito se deixasse o cristianismo.

Ameaça de Morte

Recentemente chegou a ser ameaçado de morte, mas resistiu firme. “Alguns meses atrás, enquanto eu estava andando no meu riquixá (ônibus), um aldeão local que era um extremista hindu veio até mim e me disse que se eu continuasse pregando sobre Jesus ele me mataria e me jogaria no rio da aldeia. Não sei o que me deu coragem, mas respondi: ‘Se você acha que o que estou fazendo é um crime, pode me matar por isso. Eu não temo a morte, não vou parar de pregar a Cristo’. Essa pessoa ficou sem palavras”, contou.

De acordo com Shikhar, a palavra de Deus dá força para ele se manter firme diante da perseguição.

“Eu continuo me lembrando do que aprendo nos ensinos bíblicos, não estou sozinho, há muitos que sofrem por sua fé. Deus está comigo e nunca me arrependerei das minhas crenças. Quanto mais eu for perseguido, mais crescerei na fé e serei fortalecido”, afirmou cheio de esperança.

“Agradeço a Deus por me dar uma oportunidade de saber sobre a perseguição. Antes, eu ficava com raiva e muitas vezes queria retaliar, revidar a violência. Então, através de aulas bíblicas e discipulado, aprendi que Jesus nunca retaliou, jamais revidou”, lembra.

Você pode fazer mais

A Índia é o 11° colocado na Lista Mundial da Perseguição 2018. Nos últimos anos, a intensidade da perseguição e discriminação contra cristãos aumentou bastante. No país, cerca de 80% da população segue as tradições do hinduísmo, e um movimento chamado “hinduização”, que busca o retorno da população às práticas hinduístas tem ganhado muito espaço.

No dia 27 de maio, próximo domingo, a Portas Abertas e cerca de nove mil igrejas estarão realizando o Domingo da Igreja Perseguida. Para participar, basta mobilizar sua igreja para orar e agir em favor dos cristãos perseguidos na Índia. Saiba mais no site da Missão Portas Abertas.

Publicidade