Siga-nos!

israel

Jornalista era terrorista do Hamas e mantinha 3 reféns israelenses

Abdallah Aljamal foi morto pelos militares israelenses durante a operação de resgate.

em

Abdallah Aljamal (Foto: Reprodução/Times Of Israel)

No último final de semana, forças especiais israelenses resgataram quatro reféns do centro da Faixa de Gaza. Três deles estavam detidos na casa de Abdallah Aljamal, um jornalista palestino e membro do grupo terrorista Hamas. As Forças de Defesa de Israel (IDF) confirmaram que os reféns Almog Meir Jan, Andrey Kozlov e Shlomi Ziv estavam na casa de Aljamal, enquanto Noa Argamani foi resgatada de um prédio próximo.

A operação, agora chamada “Operação Arnon” em homenagem ao comandante Yamam, Ch. Insp. Arnon Zmora, que foi mortalmente ferido durante a missão, envolveu a invasão simultânea de dois edifícios em Nuseirat, no centro de Gaza. Zmora faleceu ao chegar a um hospital em Israel.

Abdallah Aljamal, anteriormente porta-voz do Ministério do Trabalho administrado pelo Hamas em Gaza, também foi colaborador de vários meios de comunicação, incluindo o Palestine Chronicle e a Al Jazeera. Durante a operação de resgate, ele foi morto pelos militares israelenses. As FDI e a agência de segurança Shin Bet confirmaram que Aljamal mantinha os reféns em sua casa junto com sua família.

Após o ataque, Ramy Abdu, chefe do Monitor Euro-Med de Direitos Humanos, postou nas redes sociais que a casa dos Aljamals foi invadida, resultando na morte de vários membros da família, incluindo Abdallah e seu pai, Dr. Ahmed Aljamal. Abdu não mencionou a presença de reféns na casa.

Segundo Times Of Israel, o governo do Hamas afirmou que pelo menos 274 pessoas foram mortas durante a operação, um número que não foi verificado de forma independente e que não diferencia entre combatentes e civis. As FDI admitiram que civis palestinos foram mortos durante os combates, mas culparam o Hamas por manter reféns e lutar em áreas densamente povoadas.

Os reféns resgatados foram sequestrados no festival de música Supernova, perto da comunidade de Re’im, em 7 de outubro, quando cerca de 3.000 terroristas do Hamas realizaram um ataque que resultou na morte de 1.200 pessoas e no sequestro de 251 indivíduos.

A operação de resgate em Gaza destacou a complexidade e os riscos envolvidos em ações desse tipo, além de sublinhar a prática do Hamas de usar civis como escudos humanos, conforme declarado pelas forças israelenses.

Trending