Siga-nos!

Política

Joaquim Levy deveria ser tratado como “Cristo”, pede vice-presidente

Michel Temer acredita que ministro tem feito grandes sacrifícios

em

Recentemente, a presidente Dilma Rousseff, disse em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo que o ministro da Fazenda Joaquim Levy não poderia ser tratado como “Judas”.

A comparação foi mais além nesta segunda (8), quando o vice-presidente da República, Michel Temer, fez uma comparação ainda mais intrigante. “Ele [Levy] tem de ser tratado como Cristo, que sofreu muito, foi crucificado, mas teve uma vitória extraordinária e que deixou um exemplo magnífico e extraordinário para todo o mundo”, asseverou.

“O ajuste fiscal que o Levy está levando adiante vai representar isso. Em um primeiro momento, parece uma coisa difícil, complicada, mas que vai dar os melhores resultados. Menos Judas e muito mais Cristo”, insistiu o vice-presidente.

O pacote com as medidas provisórias do ajuste fiscal ainda não foi aprovado e desde que assumiu o cargo, o ministro Levy é alvo de críticas, inclusive do PT. Temer reconhece que o momento é ‘difícil’, mas que os resultados do ajuste serão ‘os melhores’.

As metáforas religiosas parecem ser cada vez mais comuns nesse governo. Em 2009, por exemplo, Lula afirmou que se Jesus Cristo fosse candidato por um partido numa eleição aqui no Brasil, teria de se aliar a Judas.

No ano seguinte, durante a primeira campanha de Dilma Rousseff comparou a candidata a Jesus: “Essa mulher foi barbaramente torturada. Não existe nada mais grave que o ser humano possa fazer com o outro do que torturar. Vocês sabem porque Jesus Cristo foi torturado”.

Poucos meses depois, comparou a si mesmo com Jesus. Ano passado, durante a segunda campanha de Dilma, comparou o Partido dos Trabalhadores a Jesus.

O vice-presidente Michel Temer já foi vítimas de boatos que seria satanista. Ele afirma ser católico, mas também é conhecido por seu envolvimento com a maçonaria.

Publicidade