Siga-nos!

Irã quer realizar outro Holocausto, denuncia Netanyahu

Premiê israelense encontrou-se com Vladimir Putin para debater crise no Oriente Médio

Avatar

Publicado

em

Vladimir Putin, Aleksandar Vucic e Benjamin Netanyahu
Publicidade


O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu está em visita a Moscou nesta quarta-feira (9) onde se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin. O líder israelense denunciou que o Irã está tentando “cometer outro Holocausto”, visando exterminar mais seis milhões de judeus que vivem em Israel.

Nesta manhã, o premiê assistiu ao lado de outros líderes estrangeiros à Parada da Vitória, dedicada à comemoração do 73º aniversário da vitória sobre a Alemanha nazista. “Nós, em Israel, nunca esquecemos o tremendo sacrifício do povo russo e o sacrifício do Exército Vermelho em derrotar o monstro nazista”, disse Netanyahu.

Publicidade

Leia mais...

“Não esquecemos da grande lição sobre a necessidade de enfrentar a ideologia assassina enquanto há tempo. É difícil acreditar, mas 73 anos depois do Holocausto há um país no Oriente Médio, o Irã, que está pedindo a destruição de seis milhões de judeus”, afirmou.

O encontro com Putin ocorreu um dia depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar que estava retirando os EUA do acordo nuclear com o Irã.

Publicidade

“A diferença é que hoje temos um Estado e agradeço muito a oportunidade de discutir os problemas regionais com vocês… as tentativas de resolver as crises, de acabar com as ameaças de maneira prudente e responsável”, afirmou.

Netanyahu chegou a Moscou para uma conversa urgente no Kremlin sobre a tentativa do Irã de se estabelecer militarmente na Síria. A Rússia é um conhecido aliado de Teerã e Damasco e condenou os recentes ataques aéreos israelenses contra alvos iranianos e sírios na Síria.

Jerusalém vem tentando impedir que o Irã estabeleça bases avançadas em território sírio que possam ser usadas para ataques com mísseis contra Israel, além de evitar que armas avançadas e foguetes sejam entregues ao grupo terrorista Hezbollah, sustentado por Teerã.

Publicidade

Desde ontem, o exército israelense convocou soldados para a região das Colinas de Golã e que colocou suas defesas aéreas em alerta máximo, depois de terem detectado “movimentos anormais de forças iranianas na Síria”.  Com informações Times of Israel




Gosta do nosso conteúdo? Considere ajudar nosso ministério! Saiba mais em apoia.se/gospelprime


Comente!
Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Trending