Siga-nos!

Internacional

Igreja é proibida de tocar sino, mas mesquita pode fazer chamada à oração

Líder muçulmano anuncia que Suécia será um país islâmico “em menos de 20 anos”

Publicado

em

Igreja Católica de São Miguel
Publicidade

Uma decisão da cidade de Växjö, na Suécia, está causando grande repercussão na Europa. A pequena mesquita local recebeu permissão para executar, cinco vezes por dia, sua chamada para a oração. Ao mesmo tempo, a Igreja Católica de São Miguel foi proibida de tocar o sino para anunciar as missas de domingo e cerimônias fúnebres.

De acordo com o padre Ingvar Fogelqvist, a prefeitura rejeitou seu pedido, alegando que o som poderia “perturbar a área”. O religioso vem fazendo pedidos para voltar a usar o sino desde o final da década de 1990, quando mudaram as leia sobre poluição sonora.

Ele acredita que o sino é uma “antiga e agradável” tradição cristã, que daria “um pouco mais de visibilidade” para a igreja.

Contudo, a mesquita recebeu permissão para transmitir as chamadas em um autofalante cujo som chega a 110 decibéis, ultrapassando o limite estabelecido pela legislação.

Fogelqvist diz à imprensa que sua igreja fica a cerca de 1,5 quilometro de distância da mesquita. Mesmo assim, as regras claramente são diferentes. “Para nós, é uma questão de justiça”, afirmou o padre.

Publicidade

Suécia, país muçulmano

A controvérsia aumentou porque, conforme relatou o jornal Svegot, um vídeo recente do líder islâmico sueco Dominic Driman mostra um discurso preocupante.

Falando em uma mesquita da capital, ensinou aos jovens convertidos que o aumento do número de muçulmanos na Suécia hoje é uma “ação de Allah”.

O objetivo de haver tantos refugiados islâmicos pedindo asilo ao governo sueco é para que “eles possam ‘salvar’ a Suécia e seu único objetivo seria islamizar o país. Driman pede que os fiéis se organizem para espalhar o Islã “de todas as maneiras” pois esta é “a única razão de sua existência”.

Ainda segundo o clérigo, “nosso objetivo é tornar a Suécia um país muçulmano de maioria muçulmana em menos de 20 anos”. Com informações de The Local   

Publicidade
Comente!

Trending