Siga-nos!

Mundo Cristão

Igreja chinesa em Porto Alegre celebra cultos em português e mandarim

Fundada na década de 1980, a igreja tem visto o número de fiéis chineses cair

em

Igreja Presbiteriana Chinesa. (Foto: Google Maps)

A Igreja Presbiteriana Chinesa, localizada em Porto Alegre (RS), tem cultos ministrados em mandarim e português simultaneamente.

Fundada na década de 1980, a igreja promove cultos bilíngues todos os domingos, onde o dois microfones são ocupados no púlpito. Tudo o que é dito é português, é repetido em mandarim.

Na hora dos cantos e leituras coletivas da Bíblia, o fiel pode escolher o idioma que preferir, como relata o site Zero Hora.

“Deus entende todos os idiomas”, afirmou Kuo Wan Feng, 71 anos, que se apresenta como Marcos no Brasil. Ele é o membro mais antigo da igreja e conta que a denominação foi iniciada por sua mãe quatro anos depois que sua família se mudou de São Paulo para a capital gaúcha.

A comunidade cresceu com a presença de chineses e seus descendentes. Os primeiros cultos eram feitos por um pastor de Mogi das Cruzes (SP) que a cada 15 dias viajava até Porto Alegre para pregar. Quando ele não conseguia viajar, enviava uma fita cassete com o culto gravado.

A casa da família de Kuo Wan Feng precisou ser reformada para virar uma igreja e assim se consolidou o ministério que hoje é liderado pelo pastor Jurandir da Silva.

Brasileiro, o líder religioso chegou a morar na China entre os anos de 1993 e 2005 e por isso consegue entender a cultura que tem muita importância para os membros da igreja.

“Eles dão muito valor à cultura, e eu tive bastante contato com ela, por ter morado lá. Tem muitas diferenças. Algumas comidas, por exemplo, eu não gosto, mas como para me integrar. Hoje é uma comunidade heterogênea”, disse o pastor. É seu filho Calebe quem traduz do português para o mandarim.

Apesar da forte cultura, hoje os membros mais velho são chineses, mas são um número cada vez menor.

“Penso que, daqui a 10 ou 15 anos, vai virar uma igreja brasileira. Mas eu não vejo problema. O mais importante é manter as pessoas, principalmente as crianças, no caminho certo”, diz Kuo Wan Feng.

Publicidade