Siga-nos!

Ciência & Saúde

“Homem das cavernas” não existiu, lembra físico

Adauto Lourenço usa textos bíblicos para descrever como a tecnologia pré-diluviana era avançada

Publicado

em

Adauto Lourenço
Publicidade

O estereótipo do homem das cavernas, muito utilizado em salas de aula para ensinar aos alunos sobre a Pré História, pode nunca ter existido. Quem afirma com propriedade é o físico e pesquisador brasileiro Adauto Lourenço.

Numa de suas palestras, o cientista se utilizou de pequenos detalhes do texto bíblico que está no livro de Gênesis para ilustrar que já havia tecnologia avançada no período pré-diluviano. Citando os três filhos de Lameque: Jabal, Jubal e Tubalcaim, que viveram antes do Dilúvio, Lourenço mostra que já existia uma sabedoria avançada.

“Jabal dominava as técnicas da agropecuária. Jubal foi músico, produtor de harpas e flautas e Tubalcaim especialista em metalurgia, artífice de instrumentos feitos de ferro e bronze”, citou.

Tudo depende da ciência. “O mais interessante é imaginar como eles desenvolveram essa tecnologia. Quando se trata de instrumentos cortantes e de bronze fica ainda mais complicado de entender”, observou.

Isso porque, segundo o físico, o bronze é uma liga de cobre e zinco, e a proporção dos dois elementos deve ser muito precisa para criar uma ferramenta de corte. “Se não existir uma proporção planejada e técnicas bem específicas, uma faca por exemplo, pode perder seu corte rapidamente. Como ele sabia disso?”, questionou.

Publicidade

Ciência do período pré-diluviano

“O que vemos na Bíblia são coisas muito interessantes a respeito das pessoas pré-diluvianas. Em poucas palavras a Bíblia fala da cultura e do conhecimento que havia naquela época”, afirmou.

Dando como exemplo o minério de ferro, que se parece com uma pedra, ele explanou: “Muitas pessoas não sabem para que serve. Quem saberia transformar um pedaço de minério de ferro numa faca? Como saber qual mecanismo pode fazer isso? Logo, concluímos que já havia muita sabedoria naqueles tempos”, disse.

“Estamos falando de cultura pré-diluviana, não estamos falando de ‘homens das cavernas’. O que lemos na Bíblia fala de tecnologia, de gente que sabia fazer as coisas, gente de conhecimento”, continuou.

E concluiu exaltando a figura de Noé. “Foi um grande homem e vimos isso pela forma como o texto bíblico o trata. Ele viveu numa sociedade perversa e ainda conseguiu influenciar seus filhos que o ajudaram a construir a Arca. Isso pra mim é impressionante”.

Sobre Adauto Lourenço

Mestre em física com formação internacional. Escolheu a profissão por se considerar uma pessoa curiosa, que sempre quis saber muito sobre o funcionamento do Universo. Nascido no interior de São Paulo, pertence a uma família cristã e se converteu aos 10 anos de idade.

O pesquisador abandonou a teoria da evolução para se tornar um dos maiores defensores do modelo “criacionismo científico”. Em suas palestras discursa sobre as origens da criação e fornece evidências sobre os temas mais polêmicos da Bíblia, como o Dilúvio, por exemplo.

Adauto Lourenço tem ajudado muitos a entender como eram os primeiros humanos e tem derrubado alguns mitos criados ao longo do tempo, como a questão dos “homens das cavernas” e o tempo de vida do planeta terra.

Assista!

Publicidade
Comente!

Trending