Siga-nos!

Política

Governo anuncia demissão de Bebianno

Floriano Peixoto assume Secretaria-Geral

Publicado

em

Gustavo Bebianno
Gustavo Bebianno. (Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil)


Na tarde desta segunda-feira (18), porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, anunciou a demissão do ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno (PSL), lendo uma nota da Presidência onde Jair Bolsonaro agradeceu a “dedicação” de Bebianno durante a permanência no cargo de ministro.

“O excelentíssimo senhor presidente da República Jair Messias Bolsonaro decidiu exonerar nesta data, do cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, o senhor Gustavo Bebianno Rocha. O senhor presidente da República agradece sua dedicação à frente da pasta e deseja sucesso em sua nova caminhada”, disse Barros.

O motivo para a demissão foi classificado como de “fora íntimo do nosso presidente” e no lugar de Bebianno ficará o general da reserva Floriano Peixoto Neto.

 

Entenda o caso

A demissão do ministro da Secretaria-Geral era aguardada para esta segunda, mas o Diário Oficial da União não trouxe a confirmação.

Bebianno era presidente do PSL e será investigado por conta de duas candidaturas femininas consideradas como “laranja”. As verbas do Fundo Eleitoral foram repassadas para as candidatas e parte do valor foi pago para uma gráfica de fachada.

Em meio às denúncias, Bebianno afirmou que o fato não havia afetado sua relação com o presidente, na época internado se recuperando da cirurgia. Ele chegou a afirmar à imprensa que falou com Bolsonaro por três vezes em um dia. O filho do presidente, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, que estava no hospital, desmentiu o secretário e divulgou um áudio onde o presidente dizia à Bebianno que não poderia falar por recomendação médica.

 



Publicidade
Publicidade