Siga-nos!

Mundo Cristão

Garota surda de 12 anos é espancada e abandonada pela família por não renunciar a Cristo

Família hindu tentou forçá-la a desistir da fé cristã.

em

Sareee. (Foto: Open Doors)

Uma menina surda de 12 anos foi espancada pelo irmão e expulsa de casa por sua família por ir à igreja. O caso aconteceu na Índia.

O nome da garota foi divulgado apenas como Sareee, ela foi evangelizada por sua tia cristã e levada à igreja desde os 11 anos.

Ela contou à caridade que sua família hindu tentou curá-la de sua surdez de diversas formas, indo a hospitais, templos hindus e até mesmo recorrendo à bruxaria.

Ela se lembra de quando entrou na igreja pela primeira vez e experimentou um milagre inesperado.

“As pessoas estavam cantando canções e o pregador ensinava a partir da Palavra de Deus”, disse ela. “Eu ouvi um pouco de som, então eu pude entender um pouco do que estava sendo dito e cantado. As músicas me fizeram feliz.”

A sua surdez foi se curando durante o culto. “Enquanto eles estavam orando, eu podia ouvir sons. Lentamente, os sons ficaram mais e mais altos. Eu também senti algo vindo para mim. Chegou cada vez mais perto. Era a presença de Deus”, disse ela.

“Então os sons ficaram bem claros. Eu podia ouvir tudo. Eu estava incrivelmente feliz.”

Mas a mãe de Saree não estava feliz e disse que a família não iria à igreja de sua tia, apesar do que havia acontecido. Ela também alertou Saree para parar de ir, dizendo que a família seria rejeitada pelos outros moradores da região.

A mãe estava com medo de perderem tudo, até mesmo ser impedida de comprar alimentos e bebida por conta da nova crença da filha.

Saree resolveu frequentar a igreja escondido de sua família, mas seu irmão descobriu e ela foi espancada. “Ele e meu pai me bateram e me arrastaram para dentro de casa”, disse Saree.

Mas essa não foi a primeira vez que ela foi agredida em casa.

“Uma vez, eu estava carregando uma Bíblia. Ele a pegou, jogou-a na lama e me bateu com um graveto. Mais tarde, coletei a Bíblia, limpei-a e entreguei a outro crente. Ele a guardou para mim”, relatou ela que por várias outras vezes foi agredida pelo seu irmão e por seu pai.

“Cerca de três meses atrás, eles estavam fartos de mim. Meu irmão e meu pai gritaram: ‘Se você continuar indo à igreja, nós a puniremos!’ Eles bateram e me chutaram muito. Então eles me deram algumas roupas e me empurraram para fora da porta. Meu pai disse: ‘Você não é mais nossa filha'”.

Ela foi à casa de sua tia, mas sua mãe a encontrou e a trouxe de volta, apenas para ser espancada novamente por seu irmão, que aparentemente lhe disse para “deixar Jesus Cristo” enquanto ele a batia com uma bengala e sapatos. Ela se recusou a renunciar a Cristo e voltou a morar com sua tia. Apesar de ter uma casa, ela não tem mais contato com sua família e não pode ir à escola.

“Por causa da minha perseguição, não posso ir à escola. Também sinto muita falta da minha família. Amo minha família, mas eles não me aceitam”, disse ela. “Eu os vi duas vezes depois que eles me expulsaram. Eu fui vê-los, mas meu pai não fala comigo. Minha mãe fala um pouco comigo, mas apenas minha irmã mais velha fala muito bem. Eu não vejo meu irmão”.

Ela disse ao Portas Abertas que, quando se sente deprimida, pensa na “irmandade” que encontrou na igreja. “Uma irmã crente me disse: ‘Não deixe Jesus Cristo. Estamos aqui’. Ela me encorajou a partir da Palavra de Deus. Isso me fortaleceu “, revelou a menina ao Portas Abertas.

Publicidade