Siga-nos!

Mundo Cristão

Fumar maconha ou cigarro é pecado?

Teólogo responde biblicamente

Avatar

em

Jovem fumando maconha.
Jovem fumando maconha.
Publicidade

Maconha, cigarros, cachimbos, charutos, narguilés, entre outras opções, podem fazer parte da vida de um cristão sem que isso se caracterize como pecado? O pastor Yago Martins, conhecido pelo canal Dois Dedos de Teologia, responde a pergunta à luz da Bíblia.

“A argumentação que geralmente é usada para dizer que o cigarro é um problema não tem boa base bíblica”, alertou. Para ele, “por mais que ‘coisas fumáveis’ já existissem no período bíblico, as Escrituras não falam absolutamente nada sobre isso”.

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Porém, abriu parênteses para inserir que, embora a Bíblia não condene o cigarro, ela condena outras coisas que estão intimamente ligadas ao ato de fumar.

Não fumarás maconha

“Não existe nada na Escritura que diz ‘não fumarás maconha’, mas com o consumo da maconha existe a questão do vício e da dependência”, sublinhou. Paulo chegou a definir o pecado como algo que domina ou escraviza a mente do ser humano.

“Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada domine.” (1 Coríntios 6.12)

Além disso, chega a citar que “os viciados” através da palavra “alcoólatras” não herdarão o Reino de Deus. “…nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.” (1 Coríntios 6.10)

Continua depois da Publicidade

“A maconha te faz passar pelo mesmo estado de embriaguez que o álcool, quando te faz perder o contato com a realidade”, comparou.

Ou seja, todas as condenações bíblicas em relação à embriaguez se aplicam às drogas, quando a pessoa busca outra percepção de realidade – “pra relaxar, pra ficar doidão”. O uso medicinal da maconha não entra nessa questão.

Mito dos cachimbos, charutos e narguilés

Há quem diga que “são mais saudáveis”. Yago derruba esse mito dizendo que são ainda piores por não possuírem filtro. “O fato de não tragar não quer dizer nada, porque a fumaça chega até o pulmão através da respiração”, apontou.

Continua depois da Publicidade

Além disso, deixou claro que o vício em charutos ou cachimbos afeta da mesma forma que os cigarros comerciais. Os narguilés não ficam de fora. “Um estudo da Universidade de Brasília diz que o consumo de 80 minutos de narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros comerciais”, citou.

“Alguns argumentam que a água usada durante o fumo do narguilé filtra a fumaça, mas isso também é mito”, acrescentou.

E o cigarro comercial?

O aspecto viciante é considerado da mesma forma. “Além de viciar, a nicotina tem um poder muito forte de escravização moral. Oitenta por cento dos brasileiros que hoje fumam, declararam que já tentaram parar de fumar e não conseguiram”, citou. O mesmo se aplica a “cigarros caseiros”.

“Aquilo que te domina, que te escraviza, que te vicia, é pecaminoso e te separa de Deus. Viciados não entrarão no Reino. O vício é algo sério e um pecado claro nas Escrituras”, resumiu.

Continua depois da Publicidade

Assista!

Publicidade

Cris Beloni é jornalista, teóloga e pesquisadora apaixonada pela Bíblia. Desenvolveu um trabalho de Jornalismo Investigativo Bíblico e é autora do livro Derrubando Mitos.

Publicidade
    Publicidade
    Publicidade

    Trending