Siga-nos!

Internacional

Freiras estão em “extinção” nos Estados Unidos

“A questão do envelhecimento é uma preocupação válida para toda a igreja”, lembra líder católica.

em

Freira ajoelhada em templo católico. (Foto: Gil Ribeiro / Unsplash)

Segundo dados do Escritório Nacional de Aposentadoria Religiosa, em 1965 os Estados Unidos tinham 180.000 freiras, mulheres de várias idades que dedicavam suas vidas à Igreja Católica. Em 2019 o número era de 31.350.

A redução do número de freiras naquele país tem prejudicado os trabalhos dos conventos e das escolas católicas. Há também muitas freiras idosas que já não conseguem realizar as atividades.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“A questão do envelhecimento é uma preocupação válida para toda a igreja, incluindo nossos voluntários idosos, funcionários e paroquianos”, disse à Fox News a irmã Deborah Marie Borneman, diretora de integração de missões da Conferência Nacional de Vocações Religiosas.

Borneman disse que as recém-chegadas hoje são inspiradas pelo “exemplo de seus membros, especialmente a alegria, o compromisso e o zelo”.

O desafio da igreja é atrair os mais jovens a considerarem uma vida dedicada ao ministério, principalmente as mulheres.

Dos recém-chegados pesquisados ​​pela Vocação Religiosa Nacional, 44% disseram que foram incentivados a se juntar a um amigo, seguido por padres com 41%, irmãs ou irmãos religiosos com 40%, mãe com 31% e pai com 28%.

Para atrair as mulheres, segundo a freira, os religiosos precisam desmistificar conceitos errados sobre a missão.

“Muitas vezes, as pessoas tiveram pouca ou nenhuma interação direta com irmãs/freiras, de modo que a desinformação é repetida e isso não ajuda”, disse ela.

Continua depois da publicidade