Siga-nos!

mundo

EUA prepara sanções contra Rússia por interferência nas eleições

Relatório de inteligência diz que China tinha interesse na vitória de Biden.

em

Bandeira dos EUA
Bandeira dos EUA (Foto: Reprodução/Unsplash)

Washington prepara sanções contra a Rússia, que deverão ser anunciadas na próxima semana, por suposta interferência nas eleições presidenciais 2020, nos Estados Unidos.

A informação foi compartilhada pela CNN, que apontou que também poderá haver sanções contra Irã, China e outros países, de acordo com relatório que citou três funcionários anônimos do Departamento de Estado dos EUA.

Um funcionário do governo também disse à agência de notícias Reuters que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, “deixou claro” que seriam tomadas medidas sobre a interferência eleitoral.

De acordo com o funcionário dos EUA, a Casa Branca pretende aplicar medidas contra o governo de Vladimir Putin por um ataque contra o líder da oposição no país, Alexei Navalny, e sua prisão.

Relatórios de inteligência teriam encontrado amplos esforços por parte de Moscou e de Teerã para moldar o resultado da disputa, embora cada um tinha interesses em candidatos opostos, segundo o relatório, mas não há nenhuma evidência de que houve mudança de votos ou interferência no processo eleitoral.

O relatório foi divulgado pelo Gabinete do Diretor de Inteligência Nacional e representa a avaliação mais detalhada da gama de ameaças estrangeiras às eleições de 2020.

Houve, segundo o relatório, esforços do Irã para minar a confiança na votação e prejudicar as perspectivas de reeleição de Donald Trump, bem como as operações de Moscou que dependiam dos aliados de Trump para difamar Biden, o eventual vencedor.

Curiosamente, o relatório aponta que Pequim, que preferia a presidência de Joe Biden, não teria interferido em nenhum dos lados e “considerou, mas não desdobrou” operações de influência destinadas a afetar o resultado, apesar da covid-19.

As principais ameaças teriam vindo da Rússia e do Irã, embora com diferentes intenções e por meios diferentes, de acordo com funcionários da inteligência.

A Rússia, disse o relatório, procurou minar a candidatura de Biden porque o via como contrário aos interesses de Moscou, embora tenha tomado algumas medidas para se preparar para um governo democrata à medida que a eleição se aproximava.

O relatório também diz que o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou operações de influência com o objetivo de denegrir Biden, fortalecer Trump, minar a confiança nas eleições e exacerbar as divisões sociais nos EUA.

Você pode gostar
Será que o público entende quando você prega?
Adquira o curso que é focado em desenvolver e destravar a Oratória de futuros Líderes Cristãos.
SAIBA MAIS! »

Termine o ano memorizando a Bíblia!
Memorize os livros da Bíblia e suas passagens de um jeito super dinâmico. Fortaleça sua fé para comunicar a Palavra de Deus do jeito fácil!
SAIBA MAIS! »

Se capacite em administrar melhor suas finanças!
Veja como você pode ser mais próspero financeiramente à luz da Palavra de Deus.
SAIBA MAIS! »

Trending