Siga-nos!

Mundo Cristão

Estudioso aposta em crescimento dos evangélicos em 2019, enquanto Islã encara mudanças

Cenários políticos devem afetar situação religiosa em diversos países

Avatar

em

Uma estudioso do cenário religioso mundial, o pastor Johnnie Moore acredita que teremos mudanças  grandes este ano. Ele já foi conselheiro de vários candidatos presidenciais prevê “transições globais, alianças dinâmicas e crescimento evangélico”.

Fundador da ONG Kairos Company e também  comentarista político de TV,  Moore trabalhou junto ao governo dos Estados Unidos e lidou com líderes mundiais, sobretudo de países muçulmanos, como o príncipe herdeiro da Arábia Saudita.  Tem servido também como porta-voz da Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional dos EUA, sendo parte do grupo de pastores que assessoram o governo Trump.

Suas credenciais permitem que ele consiga ter uma visão abrangente da situação religiosa no planeta e prever que haverá “mudanças positivas” na questão fé, apostando no crescimento dos evangélicos. Falando ao CBN News, Moore destacou a transição de poder ocorrendo em várias instituições históricas. “Seja politicamente, academicamente ou teologicamente, há mudanças sendo feitas no poder”, disse.

Colaboração da era digital

A “era digital” tem colaborado bastante para tais mudanças. “A tecnologia, alimentada cada vez mais pela proliferação de dispositivos móveis, está catapultando o mundo para outra dimensão de pensamento e expressão”, observou. Naturalmente, a mídia social tem desempenhado um papel significativo em instituições como religião e política.

Com isso, indivíduos têm agora acesso a mais conhecimento sobre diferentes pontos de vista, inclusive religiosos. Moore aposta também no que chama de “alianças dinâmicas”, que incluem mudanças nas normas culturais e institucionais. O analista vê que isso se reflete nos esforços inter-religiosos globais, que estão crescendo gradualmente.

Ao mesmo tempo, ele aguarda um aumento nas mudanças nos percentuais religiosas. Em cenários de perseguição, vê a tendência de crescimento do Islã em países que hoje tem quase o mesmo número de cristãos e muçulmanos. “O ano de 2019 pode apresentar a possibilidade real de vermos um ou mais países consolidar sua maioria muçulmana”, revelou, ao falar sobre o continente africano. Essas mudanças ocorrem pelo avanço de governos que não combatem o extremismo, como na Nigéria.

Outro cenário que se desenha é uma resolução para o conflito israelense-palestino, através de uma proposta diplomática “definitiva” apresentada pelos EUA a Israel. Outras previsões incluem um aumento nos esforços de evangelização sobretudo nas Américas, à medida que o catolicismo tem perdido espaço para evangelicalismo.

Cris Beloni é jornalista, teóloga e pesquisadora apaixonada pela Bíblia. Desenvolveu um trabalho de Jornalismo Investigativo Bíblico e é autora do livro Derrubando Mitos.

Publicidade