Siga-nos!

Educação

Escola cristã demite professora que publicou mensagens pró-aborto no Facebook

A profissional entrou com processo contra a escola dizendo que teve sua liberdade de expressão violada.

em

Escola Bishop England, em Charleston. (Foto: Divulgação)

Uma professora de uma escola católica na Carolina do Sul (EUA) foi demitida por postar mensagens pró-aborto em seu perfil no Facebook e agora está processando o antigo empregador.

Elizabeth Cox lecionou por 16 anos na escola Bishop England, em Charleston, que é administrada pela Diocese de Charleston. A demissão aconteceu no final do ano letivo e virou caso de justiça

O jornal local The Charlotte Observer publicou que a professora recebeu uma carta advertindo-a sobre a publicação favorável ao aborto.

“A escola tornou-se ciente de que você tem uma conta pública do Facebook que identifica você como professor em nossa escola e apóia publicamente o aborto. Como sabem, isto é contrário à missão da Igreja e da nossa escola e é materialmente incompatível com os seus deveres como professor de escola católica”, dizia a carta.

A publicação questionada pela administração escolar era uma citação da feminista Gloria Steinem que dizia: “Que tal tratarmos todos os jovens que querem comprar uma arma como todas as mulheres que querem abortar – período obrigatório de 48 horas, permissão dos pais e uma nota de seu médico provando que ele entende o que ele está prestes a fazer?”.

Em outra publicação a professora teria compartilhado um artigo do Washington Post sobre a comediante Leslie Jones que dizia: “Leslie Jones lidera a acusação contra a proibição do aborto no Alabama no final da temporada do SNL.”

Outra publicação de Cox ironizava os pró-vida dizendo que só acreditaria que uma pessoa defende a vida se ela for contra as armas e a favor da saúde gratuita para todos, de acordo com o Faith Wire.

No processo movido contra a escola, a professora alega que sua liberdade de expressão foi violada. A representação acusa a escola de cometer ofensa criminal por dispensá-la em razões de opiniões políticas, liberdade de expressão e direitos políticos que são garantidos na Constituição americana e também na estadual.

Publicidade