Siga-nos!

testemunhos

Diagnóstico de câncer da filha leva casal a mudança em seu ministério

Abigail e Robert Walker serviam no ministério infantil da igreja.

Michael Caceres

em

Abigail e Robert Walker com a pequena Esther
Abigail e Robert Walker com a pequena Esther (Reprodução)

Abigail e Robert Walker passaram a ministrar para famílias no andar de tratamento contra o câncer da pediatria do hospital onde sua filha, Esther, passou a receber tratamento contra a leucemia. O diagnóstico mudou completamente o ministério do casal.

Antes do diagnóstico da filha, o casal servia no ministério infantil da Igreja Batista de Dayton Avenue, Ohio, Estados Unidos. Abigail é filha de missionários do International Mission Board e sempre sentia o chamado para o ministério.

Quando Esther foi diagnosticada em 2017, a vida e o ministério do casal começaram a mudar, já que eles foram direcionados para o que definem como “campo missionário hospitalar”. Com o passar dos dias de tratamento, Abigail passou a orar pelos pacientes e familiares cujas vidas foram afetadas pelo câncer pediátrico.

“É um privilégio realmente estranho poder estar neste campo missionário, estar com pessoas que podem não necessariamente conhecer a Deus, que podem não receber oração da maneira que eu sei que Esther é”, disse Abigail.

Ela relata que conhecer as crianças e poder orar por elas produz paz e diz que mesmo que seja tudo o que pode fazer no momento, ela diz que isso ajuda a suportar.

“Saber o nome das crianças, conhecer seus rostos, ser capaz de orar por elas e sentir essa paz. … Não sei se há cristãos orando ativamente por eles ou não, mas sei que posso [orar por eles]. Portanto, mesmo que seja tudo o que eu faça, é uma daquelas coisas que o torna suportável.”, disse.

Mudança

O casal avalia que houve uma grande mudança na mentalidade como eles operam o ministério infantil da igreja a partir do diagnóstico de Esther. Ela diz que passaram a ser extremamente cautelosos e cientes das necessidades médicas das famílias, principalmente diante da pandemia do coronavírus.

Ela afirma que apesar do momento que vivem, não sentiu em nenhum momento que tivessem sido deixados por Deus. Ao recordar de quando recebeu a notícia da doença, afirma que sentiu Deus falar com ela quando pensava que não podia ser capaz de suportar.

“Não consigo pensar em um único momento em que senti como se Deus tivesse nos deixado”, disse Walker. “Lembro-me daquele primeiro dia antes de ir para o hospital, e estou sentado lá e [Esther] dormindo, e estou esperando Robert voltar para casa, e estou apenas chorando. E eu senti Deus falar comigo naquele ponto, porque tudo que eu pensava era ‘Deus, eu não posso fazer isso. Eu não sou forte o suficiente.’ Mas eu apenas senti Ele e Sua paz no momento, e Ele falou claramente aos meus pensamentos. Ele disse: ‘Você não é forte o suficiente, mas eu sou.’ E esse foi um momento muito doce de clareza e paz para mim”, relatou.

Abigail diz que enquanto caminha pelos corredores do hospital, orando pelas crianças, sente que Deus lhe dá palavras para encorajar e se aproximar das família. Por isso, seu objetivo tem sido apresentar Jesus Cristo através da vida dela, para que sintam o amor de Deus por meio dela.

Trending