Siga-nos!

Vida cristã

Davi Passamani é acusado de assédio sexual

Líder da Igreja CASA foi afastado pelo conselho da igreja.

Neto Gregório

em

Davi Passamani. (Foto: Reprodução / Instagram)

O pastor Davi Vieira Passamani, líder da Igreja CASA, em Goiânia, GO, foi acusado de assédio sexual pela médica veterinária Gabriella Palhano. A jovem relatou o caso no Twitter e afirma ter provas de tudo.

O Conselho Pastoral da igreja afirmou em comunicado publicado neste sábado (28) nas redes sociais que o pastor está afastado “há semanas” de suas funções ministeriais para “tratamento médico especializado e cuidados em família”.

Em seu relato, Palhano diz que “ele começou a falar que queria sentir meu beijo e começou a falar de um sonho que teve comigo, horrível, por sinal, nojento… Vocês devem imaginar o sonho. Então eu disse que tinha que desligar e comecei a chorar muito e ele continuava mandando mensagem”.

A jovem afirma que buscou pastores da igreja para conversar sobre o fato, mas que foi aconselhada a perdoar Passamani, pois, “era o diabo usando a boca dele e que tudo que o diabo queria era destruir aquela igreja”. Também foi aconselhada a apagar as fotos e vídeos que possuía e “seguir em frente” pelo seu bem e bem dos fiéis.

Gabriela afirma que um mês após o ocorrido conseguiu ir à igreja novamente junto com seu namorado, Guilherme Fernandes, e perdoaram o assédio, mas com uma condicional, “se eu descobrir que ele estava fazendo novamente, vou contar para todo mundo”.

Após descobrir novos casos, Palhano diz que se afastou da igreja por sete meses. Neste tempo, entrou em contato com o pastor Anderson Silva para expor o caso a ele. Em vídeo, Anderson confirmou que seu ministério tem ajudado a jovem e que a primeira recomendação foi fazer um boletim de ocorrência de assédio sexual.

Pelo menos mais cinco mulheres já fizeram as mesmas acusações de Gabriela Palhano contra Davi Passamani. O caso ainda não foi denunciado à Justiça, segundo a jovem, porque a “justiça no Brasil não presta”. Ela aparenta estar satisfeita com a exposição, e, caso o pastor “tente algo”, aí sim ela denunciará.

A médica veterinária termina seu relato afirmando que espera mais pessoas terem coragem como ela para “acabar com essa igreja. Os fiéis não têm culpa, mas os pastores todos sabem!”.

Uma campanha nas redes sociais foi criada após o caso ser exposto. O slogan lembra que “Assédio não é só pecado, é crime. Não se cale, cristão. Denuncie.”

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos possui uma Central de Atendimento à Mulher. Para denúncias basta discar 180.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Trending