Siga-nos!

Internacional

Cristãos são agredidos e presos por se recusarem a adorar Buda no Vietnã

Governo vietnamita tem ameaçado os cristãos forçando-os a abandonar sua fé em Jesus Cristo

em

Culto em igreja subterrânea no Vietnã (Foto: Kham / Reuters / Newscom)

Um grupo de 33 cristãos vietnamitas foi detido pelas autoridades após recusarem-se a renunciar à sua fé e adorar uma estátua de Buda. Eles pertencem à minoria Hmong e acabaram detidos enquanto se dirigiam a uma igreja para participarem de um culto evangélico em meados de dezembro.

Tratados como “apóstatas” em uma sociedade majoritariamente budista, os cristãos reclamam de sofrerem agressões e humilhações dentro da delegacia. Em diversos momentos os policiais lhes apresentaram imagens de Buda para que eles a chamasse de “seu deus”. Como se negaram, foram ainda mais agredidos.

A grande maioria dos cristãos vietnamitas pertencem à etnia Hmong, mas historicamente sempre foram tratados como “cidadãos de segunda”. O pastor Hoang Van Pa denunciou à agência de vigilância de perseguição International Christian Concern (ICC) que o julgamento a que os cristãos presos foram submetidos não tinha validade, pois eles não tiveram acesso à defesa.

Quatro dos homens que foram presos e espancados revelam que suas casas foram posteriormente invadidas pelos mesmos policiais.

O Vietnã proíbe manifestações de fé cristã evangélica e há casos de cidadãos expulsos por se recusarem a renunciar a sua fé em Jesus. Em 2018, mais de 100 evangélicos foram expulsos do país, registra a ICC.

A líder regional da ICC, Gina Goh, explica que “Em um país comunista onde o cristianismo é frequentemente visto como antipatriótico ou uma ameaça ao regime, os cristãos enfrentam constantemente discriminação, assédio, grilagem de terras, tortura e prisão.”

Publicidade