Siga-nos!

Internacional

Cristãos são absolvidos na Índia após 11 anos de prisão por assassinato que não cometeram

Eles foram acusados de matar um líder hindu, crime não solucionado que levou a comunidade extremista a se levantar contra cristãos matando mais de 160 pessoas

em

Grades de prisão. (Foto: Ye Jinghan / Unsplash)

Cinco cristãos foram considerados inocentes depois de passar 11 anos na prisão acusados de participarem do assassinato de um líder hindu na Índia.

O crime aconteceu em 2008 no distrito de Kandhamal. Com a morte do líder religioso, extremistas hindus se levantaram contra a comunidade cristã da cidade gerando uma onda de ataques onde mais de 160 cristãos foram mortos e mais de 6.000 casas foram destruídas.

Mas no final de novembro, a Suprema Corte da Índia emitiu uma decisão histórica inocentando os cinco cristãos de Odisha (anteriormente Orissa) depois que foi provado que eles não tinham nada a ver com o assassinato.

Ao site Morning Star News, o advogado Anupradha Singh comemorou a decisão e revelou que o comportamento dos cinco presos foi elogiado pelos juízes. O caso, no entanto, não terminou – agora deve ser travado no Supremo Tribunal de Odisha.

Entre o vasto grupo de advogados que faz campanha pela libertação do grupo nos últimos anos, a opinião é clara: todo o caso foi baseado em mentiras.

De fato, a prisão inicial dos homens só ocorreu depois que uma multidão de nacionalistas hindus os arrastou para a delegacia e exigiu que fossem punidos. Foi justiça vigilante.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE