Siga-nos!

Internacional

Cristãos são presos por chamar pastor de “mentiroso” durante culto

Seis homens se levantaram durante pregação de Joel Osteen e criticaram a teologia do religioso

Avatar

em

Publicidade

Seis cristãos foram presos na Igreja Lakewood após protestarem contra a pregação do pastor Joel Osteen. Localizada em Houston, Texas, esta é a maior igreja evangélica dos EUA, com cerca de 45 mil membros.

Durante o culto das 11 da manhã, homens que pertencem à Igreja de Wells, grupo evangélico conservador da pequena cidade de Wells, Texas, levantaram com a Bíblia em punho e começaram a dizer que o pastor estava mentindo e que aquilo era uma “vergonha”.

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Osteen é conhecido por seu ministério que enfatiza a prosperidade e que Deus tem apenas coisas boas para os cristãos. Ele tem um programa de TV e seus livros foram traduzidos para dezenas de línguas.

A reação do pastor foi chamar os seguranças do templo, que levaram os homens para fora do templo, um antigo centro de evento que foi reformado para acomodar a igreja. A polícia foi chamada e os protestantes acabaram presos com acusações de “invasão” e “perturbação”.

Segundo testemunhas, os primeiros gritos foram ouvidos logo que Joel começava sua pregação. Um a um eles se levantaram, acusaram o pastor de pregar mentiras e citaram diferentes versículos.

Houve um princípio de confusão, pois muitos presentes temiam um incidente violento. Segundo o canal de TV local KHOU 11, afiliado da rede ABC, centenas de pessoas correram para as saídas com medo de haver um tiroteio, como ocorreu recentemente numa igreja em Charleston durante o culto, deixando 9 vítimas fatais.

Continua depois da Publicidade

De acordo com o jornal The Blaze, o pastor Osteen não emitiu nota oficial sobre o ocorrido. Depois que os homens foram retirados da igreja, pediu apenas que os presentes não deixassem o incidente atrapalhar “o que Deus tem para nós”.

Após prestarem esclarecimento na delegacia e serem liberados, os membros da Igreja de Wells afirmaram que continuarão “denunciando o engano”. Dias depois, foram notificados que estão sendo processados pela Lakewood. Em entrevista reproduzida pela revista Charisma, declararam: “O sete de nós que estiveram envolvidos no esforço para avisar os membros da Lakewood do juízo vindouro, foram tomados pelo mesmo sentimento em relação à mensagem que proclamamos no domingo passado. A maior parte do que foi reportado sobre as frases que dissemos está  correto, mas mostram uma pequenina parte do peso que inundou nossos corações naquela manhã… e que inundou os nossos olhos com lágrimas durante muitos meses. Por isso queremos explicar que as multidões que enchem a Lakewood são uma massa vacilantes que rumam à destruição. ”

Entre as seguidas críticas que a Lakewood recebe de vários segmentos cristãos, estão as declarações públicas do seu pastor, um dos mais ricos do país. Ele afirma que não ter certeza se as pessoas sem Jesus irão para o inferno. Também se recusou a falar publicamente contra o casamento gay e já esteve no Vaticano para debater com o papa sobre a necessidade de união entre os cristãos.

Continua depois da Publicidade

Assista o momento em que os protestantes são abordados pelos seguranças:
[youtube code=”ygrWg_vkgdM”]

Publicidade