Siga-nos!

Internacional

Coordenador da Marcha para Jesus na Venezuela é preso pela ditadura

Pastor foi acusado de “desobediência”.

em

José Albeiro Vivas. (Foto: Reprodução / InfoBae)

O pastor José Albeiro Vivas, coordenador da Marcha para Jesus em Barinas, na Venezuela, foi preso quando iniciava a marcha na cidade, no sábado (12), segundo o Infobae.

Acusado de “uso indevido de condecoração, insígnias e títulos militares, assim como desobediência”, o pastor foi levado preso pelo serviço de inteligência do regime comunista de Nicolás Maduro.

A milícia formada pelo ditador venezuelano já foi acusada pela Organização das Nações Unidas  (ONU) de realizar torturas e execuções.

Além de coordenar a marcha realizada há 13 anos em várias cidades no país, Vivas também é major ativo da Aviação Militar Venezuelana.

Enquanto lia as palavras de abertura da marcha, com o tema “Venezuela, seu tempo de liberdade chegou”, Vivas foi preso por funcionários da Direção Geral de Contrainteligência Militar (DGCIM).

A motivação para a prisão do pastor foi o vídeo de divulgação do evento, onde ele fala sobre a “hora da liberdade”, em referência a palavra de Jesus em João 8.36, que diz: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”.

“Pela palavra de Deus: para que todos sejam um como você. Oh, pai em mim e eu em você! Que eles também sejam um em nós, para que o mundo acredite que você me enviou. Esse é o maior desejo de meu Senhor Jesus Cristo e, neste dia 12 de outubro, todos vamos juntos adorar a Deus”, dizia a chamada.

Em seguida fala sobre o momento de adoração em Barinas e sobre o que Deus poderia fazer na Venezuela através do “povo cristão”.

“Adoração pública ao rei dos reis e senhor dos senhores, marcha para Jesus, Barinas 2019, parque da Federação, 11 da manhã. Convido todo o povo cristão. Sei que Deus está fazendo grandes coisas em Barinas e na Venezuela e o lema deste ano é: Venezuela, chegou sua hora de liberdade . Chegou a hora da liberdade. E quem escolhe as liberdades será verdadeiramente livre”, disse.

Publicidade