Siga-nos!

Política

Condenado, Haddad pede à Justiça processos para “provar” que Edir Macedo é charlatão

Petista foi condenado a pagar R$ 79.182 por ofensa ao bispo.

Michael Caceres

em

Fernando Haddad chama Macedo de charlatão
Fernando Haddad chama Macedo de charlatão. (Foto: Reprodução / Youtube)
Publicidade

Condenado na Justiça por chamar o bispo Edir Macedo de charlatão quando concorria a Presidência da República, Fernando Haddad apresentou recurso onde pede que processos contra o líder da Igreja Universal do Reino de Deus sejam usados como prova.

Segundo a colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo, o petista justificou que suas declarações contra o líder religioso foram dadas no “calor da campanha eleitoral”, pedindo em seguida para que fosse feito um levantamento de documentos que mostrem a quantos processos o dono da TV Record já respondeu por charlatanismo ou qualquer outro crime.

Leia mais...

Continua depois da Publicidade

Haddad foi condenado pelo juiz Marco Antonio Botto Muscari, da 6ª Vara Cível da capital, a pagar R$ 79.182 por ofensa ao bispo.

O petista havia afirmado que Macedo era um “charlatão fundamentalista” e ainda que o apoio dado à candidatura de Jair Bolsonaro teria sido por “fome de dinheiro”.

Na sentença, o juiz questionou: “Será que um bacharel, mestre e doutor pela USP, ex-prefeito da maior cidade do país e que chega ao 2º turno da eleição presidencial, imagina que chamar líder religioso de charlatão e faminto por dinheiro não é conduta capaz de ofender o patrimônio ideal do conhecido bispo?”.

Antes, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que o vídeo onde o petista aparecia ofendendo Edir Macedo fosse apagado das redes sociais, sob risco de multa diária de R$ 5.000, caso Haddad não cumprisse com o veredito.

Publicidade