Siga-nos!

Internacional

Regime comunista da Coreia do Norte admite falta de comida e pede ajuda internacional

País tem previsão de carência de 1,4 milhão de toneladas de alimentos básicos

Publicado

em

Kim Jong-un


O regime comunista da Coreia do Norte decidiu pedir ajuda às Nações Unidas e outras organizações humanitárias diante da ampla falta de comida no país. O porta-voz da ONU Stéphane Dujarric, disse na quinta (21) que “O governo norte-coreano solicitou assistência das organizações humanitárias internacionais presentes no país para responder ao impacto da situação de segurança alimentar”.

Os números repassados à ONU por Pyonyang apontam que em 2019 o país sofra carência de 1,4 milhão de toneladas de alimentos básicos como trigo, arroz, batata e soja.

Esta não é a primera crise do tipo no país mais fechado vive. Na década de 1990, uma grande fome atingiu o país. Segundo diferentes estimativas, isso causou a morte de aproximadamente 3 milhões de pessoas.

Por conta de seu programa nuclear, a Coreia do Norte é alvo de pesadas sanções internacionais e isso acaba atingindo a população como um todo. Os Estados Unidos e outros países vêm pedindo que o regime de Kim Jong-Un abra sua economia e pare com o programa nuclear. Apesar das promessas, isso não ocorreu.

Dujarric afirmou que a ONU está preocupada com a “deterioração da situação de segurança alimentar” no país asiático, mas não há nenhuma ação concreta programada no curto prazo.



Publicidade
Publicidade