Siga-nos!

Política

Comissão de Direitos Humanos discute”lesbiofobia” e “transfobia”

Sob o comando do PT, comissão volta a discutir assuntos ligados ao público gay

Neto Gregório

em

Os petistas voltaram com carga total na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara Federal e hoje colocarão em pauta nacional conceitos como “lesbiofobia” e “transfobia”, novas nomenclaturas criadas pelo lobby LGBT no Brasil.

A audiência pública que a CDHM realizará hoje, 19/03, a partir das 13h00, é divulgada pelo site da Câmara como mais um “encontro com sociedade civil e movimentos sociais”.

Mas a pauta e a abordagem dos temas foram previamente combinadas com as militâncias, que estarão presentes na audiência dando respaldo à “reabertura” da CDHM para os movimentos sociais, principalmente o LGBT.

Na sugestão de temas prioritários da pauta da audiência pública de hoje já constam as novidades do lobby LGTB, como a “lesbiofobia”.

Na prática, é uma tentativa de enquadrar todo cidadão que se colocar contra a ideia de que o Estado deva conferir status especial à união de duas mulheres. A audiência é o primeiro passo para que o cidadão que se opuser seja rotulado como “preconceituoso”.

Ao ser informado do conteúdo da audiência, o sociólogo Thiago Côrtes afirma que essa audiência é mais uma armadilha plantada especificamente contra os cristãos brasileiros.

“O mesmo vale para a “transfobia”. O cidadão a partir de hoje poderá ganhar novos rótulos como “lesbiofóbico” ou “transfóbico”. Além disso, é certo que a partir da audiência de hoje, outras militâncias contra a “lesbiofobia” e a “transfobia” deverão ganhar legitimidade política e terão o caminho livre para receber dinheiro público e lutar contra tais preconceitos”, disse Côrtes.

Nova família

Outro tema incluído na pauta da audiência pública de hoje diz respeito ao debate sobre o papel da família, “compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa”.

Ou seja, a CDHM discutirá novos modelos para a família brasileira.

Na justificativa da introdução do debate sobre a família, a CDHM fala na necessidade de “combater a violência e a intolerância”. Novamente, quem se opuser aos novos modelos de família será taxado, automaticamente, de “intolerante”.

Não por acaso, no item anterior, a audiência apresenta como tema prioritário de discussão a “estrutura curricular do sistema de ensino que contemple a pluralidade e a diversidade”, que certamente deverá abrigar os novos conceitos produzidos pela militância LGBT e que serão apresentados hoje.

Nos bastidores da Câmara Federal, pessoas próximas do PT confirmam que o deputado Assis do Couto (PT-PR), recém eleito presidente da CDHM, pretende “reinaugurar” a comissão em grande estilo, a partir de hoje, dando força total e munição às militâncias que antes eram “boicotadas por Feliciano”.

Confira aqui a pauta completa da audiência pública que acontecerá hoje, 19, a partir das 13h30, na CDHM:

http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cdhm/noticias/proposta-de-atuacao-para-analise-e-debate

👑 Filho de Deus e da @igrejadasnacoess 💑 Esposo da @psisamaragregorio 💟 Pai da Sophia e Helena. 📰 Editor @gospelprime 📖 Diretor @institutoelevation

Publicidade