Siga-nos!

Sociedade

Com medo da violência, fiéis evitam cultos durante a noite no Rio de Janeiro

Sessões das mais diferentes religiões estão cada vez mais vazias por medo da violência

em

Homem com Bíblia. (Photo by James Coleman on Unsplash)

A violência no Rio de Janeiro tem levado fiéis de várias religiões a evitarem os cultos e reuniões no período da noite, principalmente após notícias de igrejas assaltadas e comércios próximos a um centro espírita.

No ano passado uma igreja católica na Vila Kennedy, zona Oeste do Rio, foi assaltada. O padre e fiéis foram vítimas dos criminosos. No começo deste mês as vítimas foram os frequentadores de uma Igreja Adventista no Méier. E na rua de um centro espírita um comerciante foi rendido.

Casos como esses estão deixando os fiéis das mais diferenças crenças com medo e alguns templos religiosos começam a adaptar sua rotina, acabando as reuniões mais cedo.

Em entrevista à Folha de São Paulo, a umbandista Josefina Maria Albino declarou ter percebido a queda de 50% do número de frequentadores nas sessões que acontecem das 20h às 22h. O centro kardecista em São Cristóvão também tem visto o número de frequentadores cair, principalmente os fiéis mais velhos.

O pastor batista Valdemar Figueredo Filho, que é cientista político, informou à Folha que algumas igrejas estão readequando seus horários. “Não é só o fato de o templo estar em lugar de risco. É a disposição das pessoas de estarem em trânsito domingo à noite, algo recorrente antes”, declarou ele.

Publicidade