Siga-nos!

Política

Carta de Sarney ao Bispo Manoel Ferreira repudia polêmicas do novo Código Penal

O portal Gospel Prime teve acesso a íntegra da carta de forma exclusiva.

em

As discussões sobre a reforma do Código Penal têm mobilizado parlamentares e líderes evangélicos para evitar o liberalismo exagerado, principalmente com a ampliação das hipóteses de aborto legal, a descriminalização do porte ou plantio de drogas para uso próprio e a redução da idade para que seja caracterizado o estupro de vulnerável.

Um dos principais líderes evangélicos no país, o Bispo Manoel Ferreira, presidente da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil (CONAMAD), teve um encontro com o presidente do Senado, José Sarney. Durante o encontro o Bispo manifestou sua preocupação sobre o perigo de “afrouxar” as leis, em “benefício dos criminosos”.

“Sabemos que o país precisa de leis que protejam a população e endureçam a legislação aumentando as penas e diminuindo a impunidade, não o contrário. Se o anteprojeto da reforma for aprovado como está, não só aumentamos a criminalidade e a impunidade, mas vamos perverter a família, destruindo a vida moral”, disse Manoel Ferreira.

Durante o encontro o presidente José Sarney afirmou que o projeto passará por um longo debate antes de ser aprovado e que todos os setores da sociedade serão ouvidos.

Se não bastasse a promessa, Sarney reiterou seu compromisso com a família ao encaminhar ao presidente da CONAMAD uma carta declarando seu apoio em defesa da moral e dos bons costumes.

Na carta, Sarney nega que tenha participado, ou que seja sua a iniciativa da reforma do Código Penal. “Na verdade, o projeto do novo Código Penal foi resultado do Requerimento nºs 756 e 1034, de autoria do senador Pedro Taques, após o que foi constituída uma comissão de juristas para elaborar o anteprojeto”, explicou.

“Recebido o projeto, minha obrigação institucional e regimental era o de fazer o seu encaminhamento para uma comissão especial de senadores, o que fiz (…)”, reiterou Sarney.

Sarney afirma ainda, que orientou os parlamentares responsáveis por examinar o anteprojeto, que dessem especial atenção aos artigos que tratavam sobre a eutanásia, das causas de exclusão de crime nos tipos de aborto e na exclusão de crime no caso de porte de drogas e seu plantio para uso, “por uma questão de consequência e de religião, não embasam o meu ponto de vista”.

“(…) a minha participação nos trabalhos realizados para o novo Código Penal foi apenas a de natureza institucional, como Presidente da Casa, visto que devo encaminhar as matérias que aqui tramitam”, justificou.

Oficialmente, o Presidente da Casa, disse condenar os “pontos polêmicos do projeto, aos quais a maioria de nós, brasileiros, é contrária, uma vez que ferem os nossos princípios cristãos e, ao mesmo tempo, constituem, como é o meu caso, problema de consciência e de convicção religiosa”.

“Peço-lhe, por obséquio, dar a conhecer a todos os membros da Assembleia de Deus esta minha posição e a minha parceria com os que defendem os princípios cristãos, entre os quais quero me incluir”, concluiu.

Para o Presidente da CONAMAD o apoio de José Sarney é de extrema importância já que representa uma vitória contra a depravação de valores.

“O presidente José Sarney expressou total apoio pela família e os ideais cristãos manifesto na nossa nação, isto representa uma vitória para os brasileiros que são contrários a depravação de valores”, disse Manoel.

Confira a carta na íntegra:

Publicidade