Siga-nos!

Sociedade

Campanha pró-vida de 40 dias salva centenas de bebês nos EUA

Centenas de voluntários foram às ruas e nas portas das clínicas de aborto para conscientizar gestantes

Avatar

em

Manifestações contra o aborto. (Foto: Reprodução / Facebook - 40 Days for Life)

Durante 40 dias um grupo de manifestantes pró-vida realizaram uma campanha contra o aborto e conseguiram impedir que 600 gestantes optassem pela interrupção da gravidez.

A mobilização foi feita pela “40 Days for Life”, presidida por Shawn Carney que entende que cada vez mais o número de apoiadores ao aborto está caindo naquele país. “O aborto está terminando nos Estados Unidos da América e em todo o mundo”, disse.

Ele, porém, se mostra preocupado com leis que incentivam o infanticídio como aconteceu em Nova York, onde uma lei permite abortar o bebê momentos antes do nascimento. Na Virgínia, Illinois e Novo México há leis semelhantes.

“Há uma dureza de coração, uma frieza. Não há nada maior do que ver sua linda menina ou lindo menino. Eles removeram a humanidade daquele lindo momento de ver seu recém-nascido”, diz Shawn.

Sua associação tem feito campanhas anualmente conscientizando mulheres interessadas em abortar seus bebês. Este ano o 40 Days for Life usou o filme “Unplanned” como forma de mostrar o que há por trás da indústria do aborto nos Estados Unidos.

Além de divulgarem o filme, um grupo de centenas de voluntários fez vigílias em pelo menos 377 cidades de 56 países, incluindo países africanos, da Austrália e do Reino Unido.

“O que eu amo nessa campanha é levar essa missão para outros países e ver vidas salvas do aborto. Podemos participar fazendo o trabalho de Deus para ajudar a salvar vidas”, disse Robert Colquhoun, diretor de campanha internacional em entrevista ao site God Reports.

Publicidade