Siga-nos!

Política

Vocalista do U2 chama Bolsonaro de “demônio” em show na Irlanda do Norte

Bono vem usando seu personagem MacPhisto para comentar sobre política na turnê atual

em

Bono MacPhisto

Na turnê atual do U2, o vocalista da banda, Bono, voltou a encarnar o personagem MacPhisto, corruptela de Mefistófeles, um dos nomes dado ao diabo. Através do uso de tecnologia de captura facial, ele se transforma no palco num demônio e faz comentários políticos.

Nas últimas semanas, durante os shows da turnê “Experience & Innocence” o cantor vem nomeando aqueles políticos que fariam parte do “exército de MacPhisto”. Na noite de domingo (28), durante a apresentação do U2 em Belfast, na Irlanda do Norte, ele atacou novamente os presidentes Donald Trump (EUA), Rodrigo Duterte (Filipinas) e o recém eleito  Jair Bolsonaro (Brasil).

“O que vocês estão olhando? Nunca viram um político antes?”, perguntou Bono. “Os demônios de McPhisto estão tomando o poder ao redor do globo. Meu tipo de pessoa, como Donald, fazendo a América odiar novamente. Meu bonitão filipino, Rodrigo Duterte. Mesmo hoje, nesse dia de eleição. Duzentos milhões de pessoas prestes a ter seu carnaval transformado numa parada militar por um homem chamado Capitão Bossa Nova. Bolsonaro, não esqueçam o nome. Eles têm muitos nomes, mas apenas um rosto: o meu”, discursou, em meio a gargalhadas.

O trecho, gravado por um fã da banda, vem se espalhando pela internet.

Dizendo-se amigo de Lula, Bono foi um entusiasta do governo petista, a quem chamou de “tesouro global”.

Assista (legendado):

Publicidade