Siga-nos!

Mundo Cristão

Blogueiro aceita desafio de Malafaia e escreve refutação sobre pregação da prosperidade

O teólogo Ruy Marinho lembra que biblicamente as ofertas eram recolhidas para ajudar os pobres e não para enriquecer os líderes

em

Ruy Marinho, autor do blog Bereanos, escreveu uma postagem mostrando os erros bíblicos encontrados na pregação do pastor Silas Malafaia que recentemente propôs um desafio aos blogueiros cristãos que criticam a teologia da prosperidade.

Logo no início de seu texto, o teólogo explica que fará a refutação do que foi pregado nos programas Vitória em Cristo nas últimas semanas não pelo desafio proposto, mas para “defender o evangelho” que tem sido distorcido através de conclusões errôneas.

“Silas utiliza 2 Co 9.1-15 de uma maneira desconexa e fragmentada, utilizando somente de alguns versículos desta passagem para fazer a sua defesa da teologia da prosperidade, algo normal de uma pessoa que prega tal conceito”, escreve Ruy Marinho analisando o que foi dito na mensagem intitulada de “Uma Vida de Prosperidade”.

O apologeta usa versículos bíblicos para mostrar que há erros nessas pregações que oferecem uma vida financeira melhor para os cristãos que ofertam nas igrejas. “Porém, ao sair do círculo fechado e fragmentado que Silas arma em torno de 2Co 9.1-15, afirmando a prosperidade financeira como recompensa para todos os crentes que ofertam, não tem como ignorar todo o contexto bíblico que trata de dinheiro, principalmente as passagens que afirmam o contrário do que Silas defende”.

Sem se alterar ou usar de ofensas particulares ao pastor assembleiano, o blogueiro consegue mostrar em outros versículos do próprio livro de 2 Coríntios que “o foco de Paulo não é a prosperidade financeira para os crentes em resposta ao ato de ofertar, mas sim a necessidade de ajudar financeiramente – com alegria e deliberadamente – os irmãos mais pobres”, ensina ele lembrando de 2 Coríntios 8:2.

“Uma pergunta que devemos fazer: será que as ofertas e desafios financeiros que, tanto Silas Malafaia, quanto os demais tele-pastores fazem em seus programas são destinados aos pobres da Igreja? Não, pois eles categoricamente afirmam qual é o destino do dinheiro doado em suas coletas: sustentar os programas de TV (valores milionários), viagens nacionais e internacionais, mega-cruzadas caríssimas, jatinho particular etc.

Posso estar errado, mas eu nunca vi Silas fazendo um desafio financeiro para ajudar os pobres da Igreja”.

Assista a mensagem:

Confira o texto na íntegra aqui.

Publicidade