Siga-nos!

Sociedade

Bancada evangélica pressiona Tofolli contra criminalização da homofobia

STF julgará duas ações sobre o tema na próxima quarta

Publicado

em

Sóstenes Cavalcante
Publicidade

Na próxima quarta-feira (13), a sessão do Supremo Tribunal Federal deve votar sobre duas ações que pedem a criminalização da homofobia. O tema, arquivado no Congresso, é de interesse da Bancada Evangélica que busca se reunir com o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, para pedir a retirada das pautas.

Segundo o deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), Toffoli se comprometeu a não pautar assuntos relacionados às agendas de costumes.

“Ele fez um compromisso com o presidente da Câmara (Rodrigo Maia), fez compromisso com membros da bancada evangélica, entre eles eu, que não pautaria nada que fosse assunto legislativo”, afirmou ao Estadão.

Por isso, deputados evangélicos cobram uma reunião com o ministro. Por falta de retorno, eles se programam para irem ao STF nesta terça-feira e só sairão quando forem atendidos.

“Se necessário for, vamos pedir para o presidente da Câmara interceder, para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e até mesmo o presidente Jair Bolsonaro. Não vamos brincar com isso”, sustenta Sóstenes.

Uma campanha nas redes sociais também será usada como estratégia para que as pautas não sejam debatidas no STF. Os parlamentares falarão sobre liberdade de expressão e religiosa que seriam ameaçadas com a aprovação de tais ações, uma delas movida pelo PPS, outra pelo Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

Publicidade

Publicidade