Siga-nos!

Entretenimento

Após aumento de suicídios, Netflix altera cena em “13 Reasons Why”

Série foi criticada por romantizar cena de suicídio na 1ª temporada.

Michael Caceres

em

Hannah Baker em 13 Reasons Why. (Foto: Reprodução / Netflix)

A polêmica cena de suicídio do episódio final da 1ª temporada de “13 Reasons Why” foi alterada, segundo anunciou a Netflix através do Twitter.

A romantização do suicídio foi criticada por especialistas, que apontaram através de estudos que houve crescimento no número de adolescentes americanos tirando a própria vida desde o lançamento da série.

“Nós ouvimos de muitos jovens que ’13 Reasons Why’ encorajou-os a falar sobre assuntos difíceis como depressão e suicídio, e a procurar ajuda, pela primeira vez. Nos preparando para lançar a terceira temporada este ano, nós estivemos cientes do debate em relação à série. Seguindo o conselho de experts médicos, incluindo a Dra. Christine Moutier, médica chefe da Fundação Americana para Prevenção do Suicídio, decidimos, com o criador Brian Yorkey e os produtores, cortar a cena em que Hannah tira sua própria vida na 1ª temporada”, anunciaram.

A cena, exibida no fim da primeira temporada, quando a protagonista tira a própria vida em uma banheira, cortando os próprios pulsos, foi analisada por diversos especialistas, que consideraram como sendo um incentivo ao suicídio.

Na nova versão, disponível na plataforma, Hannah apenas aparece se olhando no espelho antes de entrar na banheira, depois sua mãe descobre o corpo da jovem. A série foi lançada em março de 2017, abordando questões referentes ao bullying.

Em 2018 uma segunda temporada foi lançada, também tratando sobre o tema. Agora uma terceira deverá ser lançada ainda em 2019. A empresa de streaming havia prometido analisar os dados das pesquisas e consultar especialistas sobre as questões abordadas na série.

Uma pesquisa feita pelo Nationwide Children’s Hospital, da Columbus, Ohio (EUA), mostrou que nove meses após o lançamento da série foram registrados 195 suicídios entre jovens a mais da média registrada nos anos anteriores.

Publicidade