Siga-nos!

Internacional

Ativista acusa Hollywood de impulsionar o tráfico sexual ao glamourizar a pornografia

ONG cristã já alcançou 84 milhões de pessoas e salvou inúmeras meninas e mulheres da indústria do tráfico sexual

em

Hollywood. (Foto: Nathan DeFiesta / Unsplash)

O ativista Noel Yeatts, presidente da organização anti-tráfico humano World Help, acusa Hollywood por alimentar a indústria do tráfico sexual por normalizar a pornografia.

Os Estados Unidos é consumidor número um de conteúdo adulto, segundo o ativista, e esse fascínio pela pornografia faz com que os norte-americanos aceitem bem os filmes e programas de TV que contenham cenas de sexo.

“O perigo aqui é que nos esquecemos de que há pessoas por trás dessa questão, e isso nos faz ficar frios com a epidemia de tráfico sexual que está bem à nossa porta”, declarou Yeatts ao The Christian Post.

“Como cristãos, temos uma incrível oportunidade de fazer a diferença. Neste mundo #MeToo em que vivemos, não podemos esquecer que há mulheres que vêm dizendo isso há centenas de anos, mas ninguém tem escutado. Juntos podemos mudar isso”, completou o ativista citando a campanha contra o assédio sexual envolvendo atrizes de Hollywood.

O trabalho da World Help é resgatar garotas vulneráveis do tráfico sexual e ajudá-las a perseguir seus sonhos.

A organização atua na Tailândia e na Índia e se concentra em atender necessidades físicas urgentes, ao mesmo tempo em que investe em soluções sustentáveis na luta contra a pobreza e a escuridão espiritual.

Desde que foi fundada em 1991, a ONG já alcançou 84 milhões de pessoas e salvou inúmeras meninas e mulheres da indústria do tráfico sexual.

“O que fazemos é resgatar garotas da indústria do sexo e dar-lhes uma segunda chance”, disse Yeatts.

“Nós os abrigamos em uma das nossas casas de liberdade e lhes damos educação, discipulado espiritual e um lugar seguro para viver”, explicou.

Publicidade