Siga-nos!

Sociedade

Associação LGBT vai ao STF para garantir ideologia de gênero nas escolas

Ministro Luís Roberto Barroso foi sorteado como relator da ação.

Michael Caceres

em

Ideologia de gênero na escola. (Foto: Reprodução)

Com o protagonismo do Supremo Tribunal Federal (STF) em temas que deveriam ser de competência do Legislativo, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação e a Associação Nacional de Juristas LGBT entrou com ação pedindo que uma lei de Londrina (PR) seja derrubada.

A lei em questão proíbe o ensino da ideologia de gênero nas escolas de ensino fundamental, com alunos de 6 a 14 anos. O objetivo foi de garantir a proteção das crianças contra os ensinos distorcidos sobre sexualidade apresentados pela ideologia.

Segundo informações de O Antagonista, o ministro Luís Roberto Barroso foi sorteado como relator da ação e caso a decisão  seja por liberar essa ideologia, o STF criará jurisprudência que automaticamente determinará a liberação do conteúdo em outras cidades e estados.

“Ao proibi-los, como procedeu a lei londrinense, rememora-se do totalitarismo que já se desejava sepultado, em razão de se silenciarem iniciativas atentas à concretização dos direitos humanos e fundamentais em sala de aula”, defendem.

Na ação, a entidade acusa o município de infringir os “direitos humanos” ao proibir que o tema seja abordado em sala de aula.

Também afirma que “a realidade desigual encarada” pela população LGBT deve ser abordada nas escolas.

Publicidade