Siga-nos!

Mundo Cristão

Arqueólogos escavam local onde, segundo a Bíblia, ficou a Arca da Aliança

Ruínas encontradas na cidade de Kiryat Ye’arim ecoam relatos das Escrituras

Publicado

em

Sítio arqueológico em Quiriate-Jearim
Sítio arqueológico em Quiriate-Jearim. (Foto: Pen News)


Arqueólogos israelenses dizem ter encontrados indícios da possível localização da Arca da Aliança, uma questão bastante polêmica, uma vez que existem várias teorias e pouca evidência histórica.

As Escrituras dizem que a Arca foi construída pelos israelitas seguindo as instruções de Deus e era um sinal da própria presença divina. No livro de 1 Samuel há o relato sobre quando ela foi capturada pelos filisteus, o que trouxe uma série de maldições sobre aquele povo.

Reconquistada, ficou 20 anos na cidade de Quiriate-Jearim, cujas ruínas estão na cidade israelense de Kiryat Ye’arim, nas proximidades de Jerusalém, onde os arqueólogos agora encontraram o que acreditam ser um templo antigo.

A tradição bíblica diz que eventualmente a Arca foi levada para Jerusalém e colocada no Templo construído por Salomão, mas desapareceu quando a cidade foi destruída pelos babilônios, no século VI a.C.

O professor Israel Finkelstein, da Universidade de Tel Aviv, que está conduzindo a escavação no local, disse que há vários fatores que o identificam como a Quiriate-Jearim mencionado na Bíblia.

Arqueólogos em Quiriate-Jearim

Sítio arqueológico em Quiriate-Jearim. (Foto: Pen News)

Ele disse que “se encaixa na descrição detalhada do Livro de Josué sobre a fronteira entre as tribos de Benjamim e Judá. Não há outro local para se encaixar nessa descrição. Nos tempos bizantinos, o historiador Eusébio disse que Quiriate-Jearim estava a cerca de 15 quilômetros de Jerusalém, justamente onde fica este local”.

“Também o nome da colina em árabe – Deir el-Azar – preserva o nome do mosteiro bizantino: o Mosteiro de Eleazar. De acordo com o livro de Samuel, Eleazar era o sacerdote encarregado da Arca”, lembra Finkelstein de acordo com o Daily Mail.

Junto com seus colegas, Thomas Romer e Christophe Nicoll, do College de France, o professor Finkelstein faz escavações em Kiryat Ye’arim desde agosto de 2017. Embora não tenha encontrado nenhuma evidência da própria Arca, acredita que pode lançar alguma luz sobre o tema.

“Não estamos procurando pela Arca”, esclareceu. “Estamos tentando entender a Narrativa da Arca”.

O paradeiro da Arca tem sido objeto de especulação, com diversas teorias sugerindo que ela foi derretida pelos babilônios, escondido no Monte Nebo, na Jordânia, ou mesmo levada para a África.



Publicidade
Publicidade