Siga-nos!

Israel

Lideranças evangélicas denunciam Airbnb por “antissemitismo”

Publicado

em

Publicidade

Alguns dos principais líderes evangélicos dos Estados Unidos enviam uma “carta aberta” ao Airbnb condenando veementemente a decisão de discriminar o Estado de Israel, removendo propriedade de judeus na Judeia e Samaria do seu sistema de compartilhamento.

Segundo explica o pastor Mario Bramnick, presidente da Coalizão de Latinos para Israel,  a decisão do Airbnb não é apenas discriminatória, mas revela-se antissemita por natureza. O líder evangélico, que também é advogado, lembra que “o Airbnb continua listando propriedades em outros territórios disputados e áreas de conflito em todo o mundo. Além disso, manteve no sistema propriedades de palestinos na Judeia e Samaria; retirou apenas as que pertencem a judeus”.

Dr. Jim Garlow, fundador do ministério Well Versed, assegura que  “trata-se de uma intolerância flagrante e  Israelofobia demonstrada pela empresa que deixa transparecer uma postura antissemita”.

A carta assinada pelos 38 líderes afirma que “Os evangélicos apoiam fortemente a nação de Israel, o berço de nossa herança cristã. Essa ação discriminatória do Airbnb não tem lugar na nossa comunidade. Como líderes de organizações e comunidades evangélicas nacionais e internacionais, pedimos que o Airbnb volte atrás em sua decisão de discriminar listas de propriedade de judeus na Judeia e Samaria.”

Para os pastores, o Airbnb é mais uma empresa a adotar o BDS – Boicote, Desinvestimento e Sanções — uma campanha global de boicote ao Estado de Israel visando a questão econômica.

Publicidade

Pressionado também pelo governo de Israel, o Airbnb considera rever o posicionamento e disse que não era uma decisão meramente política.

Publicidade
Comente!

Trending