Siga-nos!

Ciência & Saúde

Aborto já é a principal causa de morte no mundo: 42 milhões de bebês assassinados em 2018

Número é maior do que as mortes registradas por câncer, suicídio, Aids e acidentes de carro

Publicado

em

Aborto


Usando dados do Worldometers, o site pró-vida LifeNews publicou um levantamento dando conta que foram realizados 42 milhões de abortos no ano de 2018, em todo o mundo. Para se ter uma ideia, este número é superior ao número de mortes causadas por câncer, HIV/Aids, suicídio e acidentes de carro.

O Worldometers [Medição Mundial] é um site independente que coleta dados oficiais de governos, revistas científicas e outros grupos conceituados, como a Organização Mundial da Saúde.

Com base nesses dados foi possível chegar ao número de abortos realizados, números estes que não estão somados com as 59 milhões de mortes que foram registradas em todo o mundo. Somando aborto e outras causas de mortes, o total seria de aproximadamente 101 milhões.

Visando alertar sobre essa situação, entre 17 e 20 de janeiro acontece em Washington DC a “Marcha pela Vida”, evento que começou nos EUA, mas se espalhou pelo mundo, tendo versão no Brasil

“Marchamos para acabar com o aborto, com a visão de um mundo onde a beleza, a dignidade e a singularidade de cada vida humana são valorizadas e protegidas”, diz o texto do site oficial da Marcha.

O governo de Donald Trump tem se esforçado para evitar que o aborto seja utilizado como planejamento familiar, inclusive a delegação dos EUA afirmou que “o aborto não é um método de controle populacional” durante a Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra.

“Lembramos aos nossos colegas delegados”, disse o comunicado, “que a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento forjou o consenso internacional de que o aborto não deve, em hipótese alguma, ser promovido como um método de planejamento familiar”.



Publicidade
Publicidade