Siga-nos!

Opinião

A “regra de ouro” para quem deseja se tornar um grande líder

Você só será capaz de se tornar um líder eficiente se aprender como tratar as pessoas.

Abner Ferreira

em

Liderança (Foto: Lukas / Pixels)

Tratar o próximo como gostaria de ser tratado não é apenas uma chave espiritual, mas um poderoso conselho a ser aplicado em todas as áreas de nossa vida, inclusive no exercício da liderança.

Esse princípio é considerado por muitos como a “Regra de Ouro”, pois é um conceito benéfico em todas as relações humanas. O mundo seria outro se as pessoas começassem a tratar os outros como gostariam de ser tratados.

Jesus Cristo disse: “Portanto, tudo o que quiserdes que os homens vos façam, fazei-o assim também vós a eles” (Mateus 7.12). Essa regra nos desafia, pois coloca sobre nós a responsabilidade de agirmos corretamente.

Veja que o princípio não é: “não faça mal aos outros”. O Senhor nos desafia a agirmos fazendo o bem.  Ele nos instrui a tomarmos a iniciativa de fazer pelas pessoas o que gostaríamos que fizessem por nós.

No caso da liderança, essa regra se aplica perfeitamente. Você só será capaz de se tornar um líder eficiente se aprender o princípio estabelecido na “Regra de Outro”.  Afinal, as pessoas seguem quem as trata com respeito.

Todas as pessoas que exercem cargos de liderança têm pessoas confiadas aos seus cuidados. Parece coisa óbvia de se dizer. O fato é que alguns se esquecem disso, tratando as pessoas como números ou objetos.

Uma frase célebre de Sun Tzu, no clássico “A arte da guerra”, instrui: “Considera teus soldados como filhos bem-amados, e eles de boa vontade morrerão contigo”. Trata-se de uma verdade incontestável.

Quando você oferece um tratamento indigno às pessoas, ainda que elas sejam obrigadas a suportar os desmandos, elas não respeitarão você como líder. Podem até cumprir aquilo que lhes foi atribuído, mas não darão o seu melhor.

A verdadeira liderança é a capacidade de influenciar os outros, mas isso requer seguirmos um modelo de “líder-servidor”. Parece antagônico afirmar que liderar e servir são princípios de influência, mas não é assim. O líder deve servir.

O apóstolo Paulo, um dos grandes modelos de liderança na Bíblia, escreveu o seguinte: “Eu de muito boa vontade, gastarei e me deixarei gastar pelas vossas almas” (2 Coríntios 12.15). Essa frase nos lembra que o líder é voluntário, não é obrigado a exercer liderança, como também a necessidade do servir.

Paulo aprendeu com Jesus Cristo que o modelo “líder-servidor” é a melhor postura para quem deseja influenciar pessoas de maneira positiva. O Mestre mesmo disse que não veio ao mundo para ser servido, mas para servir (Mateus 20. 26 – 28).

Você pode obter excelentes resultados com este modelo de liderança. As pessoas tendem a se comprometer melhor quando recebem o tratamento que julgam adequado. Afinal, ninguém gosta de ser desrespeitado.

Quando pensamos na maneira como Jesus Cristo influenciou seus discípulos e como nos leva a seguir seu modelo, logo percebemos que são justamente as suas boas qualidades que cativam. Jesus Cristo demonstrou amor, paciência, bondade, cuidado, etc.

Portanto, se você almeja ser um líder eficiente como o Mestre, então precisa usar de suas boas qualidades no trato com as pessoas.

Se você agir desta forma, tratando as pessoas com respeito, encorajando e conquistando a confiança delas, então os resultados poderão te surpreender.

Cristão, advogado, esposo, escritor, discípulo e Presidente da Assembleia de Deus em Madureira.

Publicidade